Autarquia e Moradores em sintonia: contentores têm de sair do Carregado

Autarquia de Alenquer e Comissão de Moradores do Carregado estão em sintonia quanto ao futuro do parque de contentores do Carregado. Ambas as entidades desejam que aquela estrutura empresarial saia dos terrenos pertencentes à família Pinto Barreiros.

Autarquia de Alenquer e Comissão de Moradores do Carregado estão em sintonia quanto ao futuro do parque de contentores do Carregado. Ambas as entidades desejam que aquela estrutura empresarial saia dos terrenos pertencentes à família Pinto Barreiros.

A conclusão foi divulgada nesta manhã de quarta-feira num encontro ocorrido à porta do parque que juntou Pedro Folgado, Comissão de Moradores e comunicação social.

O evento foi marcado pela Comissão de Moradores do Carregado e pretendia juntar diversos órgãos de comunicação, mas acabou por contar apenas com as presenças do Fundamental e do canal televisivo do Correio da Manhã. Pedro Folgado também marcou presença, acompanhado do vereador Rui Costa e do assessor Tiago Pedro, ainda que a autarquia não tenha sido formalmente convidada para estar presente pela Comissão de Moradores.

Ainda assim, o autarca fez questão de interromper as férias para vir ao Carregado acompanhar esta iniciativa até porque, e tal como afirmou, o objectivo da Comissão de Moradores quanto a este assunto está em perfeita sintonia com as pretensões da Câmara de Alenquer: ambas as entidades desejam que o parque de contentores saia dos terrenos que pertencem à quinta dos Pinto Barreiros.

Os porta-voz da Comissão de Moradores do Carregado foram Rogério Silva e Dario Ferreira. Ambos voltaram a referir o que João Fernando Silva já tinha adiantado ontem ao Fundamental no âmbito deste assunto: a Comissão quer ver cessar a actividade deste parque de contentores, está preocupada com o aproximar do ano escolar e com o consequente convívio dos pesados que transportam contentores com as largas centenas de crianças e jovens que frequentam a EB 2,3 do Carregado.

Já Pedro Folgado voltou a referir que a retirada do parque daquele local não só é uma exigência da autarquia como está mesmo prevista para breve. “Estamos a envidar todos os esforços nesse sentido, já endereçámos vários autos à empresa para que retirem daqui definitivamente os contentores e há mesmo um compromisso por parte da empresa para retirarem daqui os ditos contentores“, assegura o Presidente da Câmara de Alenquer.

O autarca acrescentou que está a aguardar que a empresa indique qual a calendarização para a retirada destas estruturas metálicas que desde há meses assinalam notável presença na paisagem na Urbanização da Barrada. “Fomos surpreendidos em poucos dias com a presença destes contentores, que não fazem sentido no meio de uma urbanização”, acrescenta Pedro Folgado, referindo que, e citamos, “não é pelo meio de uma urbanização que se faz transporte de contentores por veículos pesados“.

O Presidente da Câmara de Alenquer relembra que não existem acessos alternativos ao parque para garantir o transporte destes contentores, pelo que, no seu entendimento, a solução é apenas uma: colocar um ponto final nesta actividade e acabar com o parque de contentores na Barrada.

A Câmara é uma entidade pública e terá de conduzir este processo de forma a que posteriormente não hajam problemas jurídicos“, referiu igualmente o edil, recordando os tradicionais atrasos característicos da justiça e o que tal poderia significar no arrastar desta questão e a consequente permanência do parque naquele local por tempo indeterminado.

Pedro Folgado voltou a relembrar que à Câmara de Alenquer não chegou qualquer pedido de licenciamento desta actividade de armazenamento de contentores. “Não houve qualquer pedido de licenciamento da actividade empresarial nem tão pouco a mesma pode ser desenvolvida num terreno que é Reserva Agrícola Nacional, pelo que emitimos os respectivos autos de notícia no sentido da empresa daqui sair, pois está a exercer uma actividade ilegal“.


Azambuja: Casa da Rainha assinala hoje 1º aniversário – Conheça a história deste Alojamento Local

É o resultado de uma antiga ambição da empreendedora Inês Louro: a Casa da Rainha passou desde há um ano a fazer parte do dicionário dos empreendimentos sediados na Vila de Azambuja. Este Alojamento Local assinala precisamente hoje o seu primeiro aniversário. Veja aqui a entrevista com Inês Louro, proprietária deste Alojamento.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR