Câmara de Alenquer denuncia depósitos de lixo na via pública

Há pelo menos meia dúzia de locais no Concelho de Alenquer onde alguns munícipes insistem em deixar lixo, mobiliário e electrodomésticos. A autarquia de Alenquer denuncia a prática e apela ao bom senso das pessoas, lembrando que há soluções neste contexto.

A fotografia foi tirada em Casais Pereira de Lima, na freguesia de Meca, mas poderia corresponder a pelo menos meia dúzia de locais bem identificados no Concelho de Alenquer. São sítios onde os munícipes insistem em depositar lixos, mobiliários e electrodomésticos que já atingiram o limite de vida. A autarquia de Alenquer denuncia a prática e apela ao bom senso das pessoas, lembrando que há soluções neste contexto.

Esta fotografia é o retrato do oposto que a Câmara Municipal de Alenquer pede aos seus munícipes. Por isso, mais uma vez, com a cooperação de todos, vamos ultrapassar esta pandemia e tudo o que ela acarreta juntos“, refere nota informativa da edilidade. Foi desta forma que a autarquia de Alenquer denunciou o depósito de lixo abusivo em locais públicos.

De acordo com fonte da autarquia, estão identificados alguns locais no Concelho de Alenquer onde estes resíduos aparecem de forma insistente. “São cinco ou seis locais onde inexplicavelmente e aparentemente sem motivo as pessoas depositam sistematicamente monos“. Segundo a mesma fonte, esta situação tem lugar há vários anos.

Nota informativa da Câmara de Alenquer acrescenta, a este propósito: “Foi durante este período, que ainda não foi ultrapassado, que a Câmara Municipal de Alenquer e todas as organizações governamentais se têm desdobrado para que toda a população pudesse continuar a ter uma vida digna, que houvesse a maior resposta possível a todas as situações que foram surgindo, mas também é nestes momentos que aparece a crítica e o julgamento fácil”.

A mesma fonte acrescenta: “É nestes momentos que a entreajuda e a união têm de prevalecer e neste caso, a grande ajuda que os munícipes podem dar é no simples gesto de facilitar o trabalho ao município, para que com os recursos disponíveis se consiga solucionar os problemas que surgem”.

Ainda sobre este assunto, a autarquia relembra: “Os monos têm uma recolha independente dos resíduos sólidos urbanos, feita mediante pré-marcação. Para solicitar a remoção de monstros ou monos, nomeadamente electrodomésticos ou mobiliário fora de uso, contactar o serviço gratuito da Recolte através do contacto telefónico 800 503 505. Este tipo de resíduos também pode ser entregue directamente no Ecocentro existente na Estação de Transferência da Ota“.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR