Alenquer tem 72 casos de covid – Comandante da Protecção Civil “Preocupado mas não alarmado”

"Preocupado mas não alarmado". Foi desta forma que Rodolfo Batista comentou os dados oficiais desta quinta-feira no Concelho de Alenquer. O Comandante da Protecção Civil está sobretudo apreensivo com o previsível desconfinamento que poderá ser decretado pelo Governo nos próximos dias.

“Estou preocupado mas não estou alarmado”. Foi desta forma que Rodolfo Batista começou por comentar os dados oficiais que foram revelados nesta quinta-feira e que indicam um conjunto de novos casos no Concelho de Alenquer. “Preocupo-me sobretudo com um possível cenário de desconfinamento que possa ser determinado pelo Governo já neste próximo fim de semana”, acrescentou o Comandante da Protecção Civil de Alenquer.

Há um foco de casos positivos de covid-19 em Santana da Carnota, todos detectados numa família local. No Carregado verifica-se a existência de seis cidadãos que recuperaram totalmente desta doença.

Os dados oficias de hoje mostram-nos um total de 72 casos activos no Concelho de Alenquer, sendo que 49 estão identificados no Carregado. A Freguesia da Ventosa apresenta 9 casos, Santana da Carnota 5 e Alenquer regista 3 casos. Há ainda mais 6 cidadãos infectados no restante território concelhio. Refira-se que já são 37 as pessoas que venceram a doença, sendo que Alenquer não regista, felizmente, qualquer óbito no contexto desta pandemia.

“Tendo em conta o número de pessoas recuperadas que tivemos hoje, foi dos dias menos preocupantes. Mas claro que temos que olhar para os positivos com atenção, porque tivemos um foco de 5 casos que se regista em ambiente familiar em Santana da Carnota”, refere Rodolfo Batista ao Fundamental. Os casos de cidadãos recuperados registam-se todos no Carregado e de acordo com o Comandante da Protecção Civil serão trabalhadores da empresa Avipronto, dos casos mais antigos que testaram positivo na Freguesia.

Rodolfo Batista esclarece: “É lógico que temos que nos preocupar com o nosso município, mas quando comparamos com os municípios vizinhos há casos muito mais preocupantes”. O Comandante lembra que trabalha em articulação com os seus congéneres de concelhos da região, onde se verificam muitos positivos espalhados por todas as freguesias. “Só para ter uma ideia, Loures e Seixal estão a ter uma média de 120 casos diários”, refere ainda Rodolfo Batista.

O Comandante de Alenquer acrescenta: “A minha experiência coloca-me aqui alguma preocupação num cenário de desconfinamento que possa ser determinado pelo Governo já neste próximo fim de semana, nas indicações que o senhor primeiro ministro poderá transmitir já amanhã ou no sábado”. Rodolfo assume a preocupação devido ao facto de já se verificar dificuldade por parte das autoridades em assumir um papel de controlo da situação no terreno que é, afinal, onde toda a acção se desenrola.

“No Estado de Emergência a autoridade poderia actuar, mas no Estado de Calamidade já não é tanto assim e neste cenário as forças de segurança têm muito mais dificuldade em proteger as pessoas”, refere igualmente o Comandante da Protecção Civil de Alenquer, que revela: “Ontem cruzei-me com um colega de Vila Nova de Gaia que estuda comigo numa pós-graduação e ele diz-me que lá a situação está muito preocupante, que inclusive a Delegada de Saúde de Gaia pondera encerrar tudo o que sejam cafés, restaurantes e estabelecimentos comerciais”.

Rodolfo Batista reforça a ideia já deixada nesta entrevista concedida ao Fundamental: “Para mim o grande problema foi que as autoridades perderam alguma capacidade de agir em função da alteração do Estado de Emergência para Estado de Calamidade. As forças no terreno continuam a fazer o seu papel pedagógico, mas nada podem fazer quando detectam comportamentos de potencial risco”, declara o Comandante da Protecção Civil de Alenquer.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR