Alenquer no centro das comemorações dos 200 Anos da Independência do Brasil

As comemorações dos 200 Anos da Independência do Brasil vão passar por Alenquer. Entre 24 e 27 de novembro o concelho vai acolher o Congresso Internacional “Independências, Império, Escravidão, Imigração e Brasilidade”.

As comemorações dos 200 Anos da Independência do Brasil vão passar por Alenquer. Entre 24 e 27 de novembro, o concelho vai acolher o Congresso Internacional “Independências, Império, Escravidão, Imigração e Brasilidade” que decorrerá em conjunto com o 3.º Seminário Internacional – Religião, Arte e Literatura.

Este congresso científico vai reunir cerca de uma centena de pessoas em Alenquer e um conjunto de académicos que estuda o tema no mundo inteiro, incluindo várias figuras de referência no meio. Para os três dias estão previstas conferências e debates tendo como palco o edifício dos Paços do Concelho. No último dia os participantes terão oportunidade de visitar alguns locais do concelho.

Entre os convidados destaque para a presença do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, Paulo Cafôfo, que valida a importância académica do evento em Portugal. Pedro Folgado e Rui Costa, presidente e vereador da Câmara Municipal de Alenquer, respetivamente, têm também presença confirmada no congresso.

“Alenquer será o centro destas comemorações no mundo e foi escolhida por ser uma terra de cultura, já reconhecida pelas grandes instituições, além de o nosso concelho ser sempre associado ao Humanismo e ao Espírito Santo, temáticas muito apreciadas pelo público brasileiro, que terá presença maioritária no evento”, afirmou Rui Costa, vereador com o pelouro da cultura. O autarca destacou também a importância de descentralizar estes eventos, mostrando-se convicto de que será uma ajuda importante para a economia local do concelho.

A Independência do Brasil ocorreu entre 1821 e 1825. Oficialmente, a data comemorada é a de 7 de setembro de 1822, quando ocorreu o evento conhecido como o Grito do Ipiranga. Este congresso internacional terá como foco o período histórico do Império brasileiro, que existiu até 1889. Entre 1822 e 1889 o Brasil tornou-se o maior estado esclavagista do mundo, numa época em que tanto o comércio transatlântico de escravos quanto a própria escravatura tinham sido quase universalmente abolidos.