Autarquia de Magos apresenta livro “O Principezinho em Salvaterra” de Helena Sacadura Cabral

A Câmara de Salvaterra apresentou o seu nono livro dedicado ao público infantojuvenil. Intitula-se “O Principezinho em Salvaterra”, é da autoria de Helena Sacadura Cabral e conta com ilustrações de Ana Teresa Pontífice.

A Câmara Municipal de Salvaterra de Magos apresentou recentemente o seu nono livro dedicado ao público infantojuvenil. Intitula-se “O Principezinho em Salvaterra”, é da autoria de Helena Sacadura Cabral e conta com ilustrações de Ana Teresa Pontífice. A apresentação desta obra esteve inserida na programação da 9ª edição das Jornadas de Cultura e decorreu na Falcoaria Real. O evento contou com grande adesão por parte do público.

Esta aposta do Município decorre desde 2014 e pretende fomentar o gosto pela leitura entre as camadas mais jovens da população levando-os a conhecer, de forma lúdica, a história do concelho, ao mesmo tempo que procura promover, divulgar e preservar a memória e a identidade da comunidade salvaterrense.

O Presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos recordou os livros já editados pela autarquia: “É divertido ler e ainda mais quando há oportunidade de perceberem, através destes livros, que estão a ver locais e a conhecerem factos que dizem muito do concelho onde residem”, referiu Hélder Esménio.

Já Helena Sacadura Cabral explicou que a inspiração para escrever esta história surgiu das recordações de infância e das histórias que lhe contavam, nomeadamente a que mais a marcou: “O Principezinho” de Antoine de Saint-Exupéry. “Esta história marcou-me muito e decidi que era um principezinho especial que iria trazer para Salvaterra de Magos”, contou a autora. “Entrar no mundo das crianças e ao mesmo tempo ensinar-lhes alguma coisa foi a minha intenção, falar-lhes de Salvaterra de Magos, do Tejo e da Falcoaria”, acrescentou.

Ana Teresa Pontífice revelou que ilustrar um livro infantil sempre foi um sonho. “Gosto muito da parte de criar para crianças e de podermos utilizar mais a nossa imaginação e a nossa criatividade e por isso foi mesmo um prazer fazer estas ilustrações”, assegurou a ilustradora. Já o livro foi distribuído gratuitamente ao público presente e, à semelhança de anos anteriores, a iniciativa assumiu um cariz solidário já que a sugestão da autarquia foi a de trocá-lo por uma embalagem de cereais, que será distribuída através do projeto municipal “Loja Social”.