Azambuja: Adega da Horta, Quinta da Lapa e EP de Alcoentre vencem 39º Concurso de Vinhos

Adega da Horta de Alcoentre com o melhor tinto; Quinta da Lapa, de Manique do Intendente, com o melhor branco; e o Estabelecimento Prisional de Alcoentre com o melhor rosé foram os grandes vencedores da 39ª edição do Concurso de Vinhos do Produtor do Concelho de Azambuja.

Adega da Horta de Alcoentre com o melhor tinto; Quinta da Lapa, de Manique do Intendente, com o melhor branco; e o Estabelecimento Prisional de Alcoentre com o melhor rosé foram os grandes vencedores da 39ª edição do Concurso de Vinhos do Produtor do Concelho de Azambuja.

A cerimónia de anúncio e entrega de prémios teve lugar na tarde da última sexta-feira e foi naturalmente integrada na inauguração da 16ª “Avinho – Festa do Vinho e das Adegas”. O evento contou com a presença do Ministro do Ambiente, Duarte Cordeiro, e animou a Vila de Aveiras de Cima durante todo o fim de semana passado.

Esta edição celebrou a colheita de 2021 nas habituais categorias de vinhos tintos, brancos e rosés. A Câmara Municipal de Azambuja atribuiu prémios monetários de 250 euros aos terceiros, 500 euros aos segundos e 750 euros aos primeiros classificados, em cada uma das três categorias.

“Além de promover os bons vinhos locais, a economia e o nome do concelho, estes prémios procuram prestigiar o concurso recompensando a qualidade do trabalho e a dedicação dos produtores”, refere Silvino Lúcio, presidente da Câmara de Azambuja. Apresentaram-se neste concurso cerca de três dezenas de produtores com predominância de vinhos tintos. De acordo com os provadores convidados, a colheita 2021 pode ser considerada de boa qualidade, justificando-se que para além do pódio tenham sido atribuídas várias menções honrosas.

Nos dezassete vinhos brancos a concurso a vitória foi para o produtor Quinta da Lapa, de Manique do Intendente; o 2º lugar para o Casal da Fonte, de Vale do Paraíso; e o 3º para o Estabelecimento Prisional de Alcoentre. Destaque ainda com menção honrosa para o branco do produtor José Mata de Aveiras de Cima.

Na categoria de vinhos rosé, com dez participações, a vitória foi para o Estabelecimento Prisional de Alcoentre; o 2º lugar para José António Capão de Aveiras de Cima; e a 3ª posição para a casa Agro-Batoréu também de Aveiras de Cima. Nota ainda para a menção honrosa ao rosé apresentado a concurso pela Cova da Caldeira de Alcoentre.

No setor dos tintos, com vinte e nove amostras concorrentes, o 1º lugar foi para Adega da Horta de Alcoentre; o 2º lugar para José Luís dos Santos de Aveiras de Cima; e o 3º para Agro-Batoréu de Aveiras de Cima. Referência ainda a uma mão cheia de menções honrosas para cinco tintos de boa qualidade: de José Mata e António Patrício Abreu, ambos da freguesia de Aveiras de Cima; de José Narciso – Adega do Valle, de Vale do Paraíso; e ainda de António José Vicente e Aníbal Bolas Carvalho, ambos de Vila Nova de S. Pedro.

O painel de provadores avaliou os vinhos concorrentes no modelo habitual de “prova cega” e foi composto por 7 enólogos com reconhecida experiência neste tipo de iniciativas, nomeadamente Alice Simões, Cármen Santos, Rita Conim, Hernâni Magalhães, Jorge Páscoa, Sérgio Oliveira e Cruz Ferreira.