Alcoentre: Luís de Sousa “voltou ao ativo” para ajudar presidente Silvino na questão da Escola Grandela

Luís de Sousa regressou hoje ao ativo cívico em plena reunião do executivo que está a decorrer na Freguesia de Alcoentre. O antigo presidente falou para esclarecer o executivo sobre algumas questões relacionadas com a Escola Grandella situada em Tagarro.

O antigo presidente da Câmara de Azambuja regressou hoje ao ativo cívico em plena reunião do executivo que ainda está a decorrer no Salão dos Bombeiros Voluntários de Alcoentre. Luís de Sousa falou na qualidade de munícipe no período antes da ordem do dia destinado à intervenção do público para esclarecer o executivo sobre algumas questões relacionadas com a Escola Grandella situada em Tagarro.

O assunto foi trazido à discussão por um munícipe no período antes da ordem do dia. Foi referido o estado de conservação do histórico edifício e levantaram-se questões relacionadas com a posse da chave da Escola Grandella, a identidade de quem a utiliza atualmente e o desaparecimento do gradeamento de proteção anteriormente colocado pela autarquia.

Luís de Sousa pediu a palavra para relembrar que, ainda durante a sua presidência, a autarquia tomou a decisão de retirar o que restava do gradeamento de proteção do perímetro do edifício uma vez que esse mesmo gradeamento estava a ser compulsivamente furtado. “Algumas pessoas não identificadas estavam a levar esse gradeamento para casa de forma gratuita, e para que a Câmara não acumulasse mais prejuízo resolvemos retirar o que restava do mesmo”, esclareceu o antigo edil.

Sousa relembrou ainda acerca da Escola Grandella de Tagarro: “Antes de terminar o meu mandato tive algumas conversações com o empresário que estabeleceu com a Câmara o protocolo de utilização daquele edifício, que se prontificou a devolver a posse da Escola Grandella à autarquia”. O ex-presidente acrescentou: “Deixei esta indicação no gabinete jurídico, e talvez seja esta a oportunidade para o senhor presidente avançar nesse processo”.

Luís de Sousa referiu igualmente que a autarquia tem uma chave do imóvel e que existe outra chave na posse, e citamos o antigo presidente, “de alguém que está a servir-se daquilo, como aqui disse um meu conterrâneo”. O antigo presidente referiu que a sua intervenção destinou-se, e voltamos a citar Luís de Sousa, “a ajudar o senhor presidente a resolver este processo”. Silvino Lúcio agradeceu o contributo do agora reformado ex-presidente da Câmara de Azambuja.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR