Rastreio do cancro da mama levou a cabo mais de mil diagnósticos em Alenquer

Mais de mil munícipes compareceram entre 26 de março e 22 de abril à primeira campanha de rastreio do cancro da mama do concelho de Alenquer. Esta ação foi promovida pela Liga Portuguesa Contra o Cancro e teve o apoio do município.

Mais de mil munícipes compareceram entre 26 de março e 22 de abril à primeira campanha de rastreio do cancro da mama do concelho de Alenquer. Esta ação foi promovida pela Liga Portuguesa Contra o Cancro e teve o apoio do município.

Nuno Marques da Liga Portuguesa contra o Cancro explica que “nesta primeira Volta de Rastreio do Cancro da Mama em Alenquer das 6.240 mulheres residentes no concelho e teoricamente elegíveis, foram convidadas 3.031 e rastreadas 1.106 mulheres, correspondendo a uma taxa de participação de 36,49% excedendo a expectativa que se cifrava nos 30%”.

Na próxima volta, a realizar em 2022, “iremos convidar os restantes 50% da população elegível e também as faltosas desta primeira volta, perfazendo cerca de 5 mil mulheres a convocar”, acrescentou Nuno Marques.

Como resultado desta ação foram detetadas 24 lesões tendo estes casos sido encaminhados para nova avaliação. Ao mesmo tempo resultaram 11 situações comprovadas de cancro da mama, tendo sido feito o encaminhamento para os serviços de saúde.

Esta iniciativa está integrada no Plano Oncológico Nacional e no Programa Europeu Contra o Cancro e pretende generalizar o rastreio precoce de situações de lesões mamárias e assim diminuir a sua letalidade. Iniciada em 1986 na região Centro do país, as sessões de rastreio percorrem atualmente todo o país, com uma visita anual às localidades integradas na rede.

Acrescente-se que no primeiro ano é convocada para o rastreio 50% da população residente feminina na faixa etária dos 50 aos 69 anos, e no segundo ano a população remanescente, repetindo-se o ciclo nos anos seguintes de modo a garantir um teste diagnóstico bienal.