Aveiras Sport Clube: Assembleia Geral a 30 de Abril para decidir venda da antiga sede

O Aveiras de Cima Sport Clube vai realizar uma Assembleia Geral no próximo dia 30 de Abril com o objetivo de obter a aprovação dos sócios para a venda da antiga sede do clube. O dinheiro da venda é essencial para concretizar o projeto ambicioso que a atual direção quer implantar no parque de jogos.

O Aveiras de Cima Sport Clube vai levar a cabo uma Assembleia Geral no próximo dia 30 de Abril com o objetivo de obter a aprovação dos sócios para a venda da antiga sede do clube, situada na Rua Almeida Grandela. Já existe comprador e o dinheiro da venda é essencial para concretizar o projeto ambicioso que a atual direção quer implantar no parque de jogos.

Recorde-se que a atual direção é presidida por Pedro Rodrigues e tomou posse há dois anos. Desde então o clube tem conhecido uma nova dinâmica, que acabou por ser interrompida pela pandemia de Covid-19 que assolou o país e o mundo. Nestes últimos meses o Aveiras de Cima Sport Clube tem estado praticamente inativo, a exemplo do que sucede com a esmagadora maioria das agremiações desportivas amadoras do país.

No entanto a inatividade é apenas aparente e diz respeito à atividade desportiva, porquanto a direção do ACSC tem-se mobilizado no sentido de resolver questões antigas e dar um impulso definitivo ao Aveiras Sport Clube. Por essa razão foi tomada a decisão lógica de prescindir da antiga sede, um edifício devoluto e sem qualquer utilidade para o clube há décadas. O dinheiro desta alienação servirá para dar corpo ao novo projeto ambicioso que Pedro Rodrigues, Carlos Ferraz e os seus pares têm em mente para o clube.

Esse projeto será financiado em parte pelo IPDJ – Instituto Português do Desporto e da Juventude, e consiste num conjunto de estruturas que dotarão o campo de futebol de condições dignas e modernas para a prática deste desporto. Novos balneários, salas de apoio para treinadores e auditório destinado a apoiar as atividades do clube são alguns dos exemplos das edificações que se pretendem levar a cabo no parque desportivo.

O projeto é ambicioso e faz todo o sentido, mostrando que esta direção do Aveiras tem “vistas largas” e uma perspetiva construtiva em relação ao futuro. Toda a zona do atual Bar será remodelada, surgindo um complexo onde pontificará um novo Bar com esplanada num andar elevado, sobre a atual bancada, que entretanto também será ampliada. Ao mesmo tempo está prevista a construção de um campo de Padel, destinado a atrair outros públicos ao complexo desportivo.

Acrescente-se que esta direção já resolveu o “velho” problema da legalização da iluminação do complexo desportivo do Aveiras, mas o caminho até ao ajuste completo do campo de jogos às exigências contemporâneas será longo e constitui um desafio tremendo para Rodrigues, Ferraz e seus pares. Por essa razão a venda da antiga sede é absolutamente fundamental: trata-se de alienar um bem sem utilidade no contexto atual desta associação para poder avançar para um conjunto de estruturas que dotarão o Aveiras Sport Clube de condições ajustadas ao século XXI.

Reforçamos a noticia de que já existe uma entidade compradora para a antiga sede, sendo que apenas faltará a autorização dos associados, o que a atual direção espera obter na Assembleia Geral do próximo dia 30, onde poderão votar sócios com e sem as cotas em dia, uma decisão tomada pela direção em virtude dos constrangimentos causados pela pandemia. Assim não sejam travados por algumas cabeças empoeiradas, que aparecem sempre nestas alturas, estacionados no passado e avessos ao progresso.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR