Requalificação da Escola Secundária de Azambuja já tem 3,5 milhões de euros assegurados

As obras de requalificação da Escola Secundária de Azambuja estão asseguradas com um financiamento de 3,5 milhões de euros. Aquele estabelecimento de ensino data de 1978 e até hoje não foi alvo de quaisquer obras de beneficiação ou requalificação.

As obras de requalificação da Escola Secundária de Azambuja estão asseguradas com um financiamento de 3,5 milhões de euros. Aquele estabelecimento de ensino data de 1978 e até hoje não foi alvo de quaisquer obras de beneficiação ou requalificação.

Finalmente, e ao cabo de vários anos de intensa e persistente pressão da autarquia junto dos órgãos governamentais, foi obtido o acordo que irá tornar a requalificação da Escola Secundária de Azambuja uma realidade“, afirmou Luís de Sousa a este propósito.

Acrescente-se que a Câmara Municipal já recebeu “luz verde” por parte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo para o avanço da obra, conseguindo o já referido financiamento de 3,5 milhões de euros.

O Presidente da Câmara de Azambuja acrescentou a este propósito: “A requalificação desta que é a única Escola Secundária do concelho tem sido um dos principais objetivos do atual Executivo e dos seus antecessores. É uma excelente notícia para toda a comunidade educativa e, consequentemente, para o futuro do Concelho de Azambuja”.

A proposta de requalificação consiste num conjunto de intervenções que visam dotar o equipamento de melhores condições funcionais e com qualidade de construção. Para tal, será considerada a substituição integral das infraestruturas e revestimentos existentes, adaptando o edifício aos critérios de utilização e de conforto contemporâneos. Pretende-se ainda que toda a escola fique preparada com plena acessibilidade aos diferentes espaços e serviços.


Nuno Coelho em entrevista: “Vejo com preocupação o fim da Coligação com o CDS em Alenquer”

Nuno Coelho afirma que vê a candidatura de Nuno Miguel Henriques com naturalidade e pragmatismo, mas confessa-se preocupado com o fim da Coligação que o PSD mantinha com o CDS desde 2005, referindo-se à mesma como “património do concelho de Alenquer”.