Nuno Coelho em entrevista: “Vejo com preocupação o fim da Coligação com o CDS em Alenquer”

Nuno Coelho afirma que vê a candidatura de Nuno Miguel Henriques com naturalidade e pragmatismo, mas confessa-se preocupado com o fim da Coligação que o PSD mantinha com o CDS desde 2005, referindo-se à mesma como "património do concelho de Alenquer".

Nuno Coelho é o mais recente convidado de Nuno Cláudio para a grande entrevista no Fundamental Canal. O atual deputado na Assembleia Municipal afirma que vê a candidatura de Nuno Miguel Henriques com naturalidade e pragmatismo, mas confessa-se preocupado com o fim da Coligação que o PSD mantinha com o CDS desde 2005, referindo-se à mesma como “património do concelho de Alenquer”.

Recordemos que Nuno Coelho foi candidato à presidência da Câmara de Alenquer por três ocasiões, em 2005, 2009 e 2013. Desde 2017 que faz parte do elenco social democrata eleito na Assembleia Municipal, ainda em coligação com o CDS local. Coelho aceitou o convite para falar do atual momento que o Partido Social Democrata vive após a chegada do candidato imposto pela Distrital do Oeste liderada por Duarte Pacheco.

Nesta entrevista Nuno Coelho revela que havia conversações com dois possíveis candidatos a presidente da autarquia de Alenquer, mas a decisão de Duarte Pacheco e a intransigência em conceder mais tempo aos militantes locais para resolver o assunto “internamente” acabaram por ditar a chegada de Nuno Miguel Henriques. Ainda assim, Coelho admite entender a decisão perante a falta de estrutura concelhia em Alenquer do partido fundado por Sá Carneiro.

Ainda a propósito do final da Coligação, Nuno Coelho revela a sua preocupação por considerar que esta seria “património do concelho de Alenquer”. O antigo candidato e vereador social democrata afirma que os munícipes terão de ser bem esclarecidos sobre o final da mesma e na sua opinião terão de ser os candidatos já assumidos (Nuno Miguel Henriques e Mário Amaro) a vir a público explicar as razões que conduziram ao final de um acordo interpartidário que durou quase duas décadas.

Convidamo-lo a ver a entrevista a Nuno Coelho já de seguida, no Fundamental Canal.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR