Outro retrocesso para Henriques: CDS de Alenquer confirma não ir a eleições com o PSD

O CDS acaba de confirmar que o partido centrista não vai mesmo a eleições coligado com o PSD local. Cai assim por terra a tentativa apressada do candidato Nuno Henriques de reatar a possibilidade de concorrer coligado às autárquicas de Outubro. Mário Amaro viu esta noite a sua candidatura reconfirmada.

A Comissão Política Concelhia de Alenquer do CDS acaba de confirmar que o partido centrista não vai mesmo a eleições coligado com o PSD local. Cai assim por terra a tentativa apressada do candidato Nuno Henriques de reatar a possibilidade de concorrer coligado às autárquicas de Outubro. Mário Amaro viu esta noite a sua candidatura reconfirmada pela estrutura concelhia do Partido Popular.

Recordamos que foi Nuno Miguel Henriques quem publicamente colocou um ponto final na coligação que durava desde inicio deste século e que levou ambos os partidos a apresentarem-se em consonância aos munícipes nas eleições que se realizaram desde 2005. Foi a 17 de Março que o candidato contactou o Fundamental e deu conta do efetivar desse divórcio político, chamando a si a responsabilidade da decisão e justificando-a com a vontade do PSD se apresentar a eleições, e citamos, “num espetro mais abrangente e não tão encostado a uma certa estrema direita“.

Para o dia seguinte o candidato social democrata prometeu uma comunicação oficial sobre o assunto, que até hoje acabou por não surgir. Entretanto o CDS de Alenquer avançou com o anuncio do seu candidato, o jovem Mário Amaro, de 20 anos, estudante de engenharia aeroespacial. Mário Amaro preside atualmente à Comissão Política Concelhia do CDS local e afirma a este propósito: “Em 2020 começaram as tentativas de contacto do CDS-PP Alenquer com militantes e representantes do PSD, mas não havia Concelhia e à falta de interlocutores fomos aguardando um contacto, disponíveis para construirmos uma candidatura conjunta“.

Amaro relembra que não houve qualquer resposta ou contato por parte do PSD local: “A seu tempo entendemos que não havia espaço para o CDS-PP continuar na expectativa, pelo que decidimos avançar com uma candidatura própria“. Essa candidatura foi confirmada na noite desta quarta-feira: “Tivemos uma reunião virtual entre representantes da candidatura do CDS de Alenquer e outra do PSD de Alenquer; foi uma reunião de cortesia em que o CDS deixou claro que não alimentará quaisquer hostilidades com o PSD e conta com a mesma postura da parte dos ex-parceiros“.

Mário Amaro assegura que, e citamos, “A Comissão Política Concelhia do CDS-PP decidiu a seu tempo não manter esta Coligação de outros mandatos seguindo caminhos e abordagens diferentes, sempre sem hostilidade perante os ex-parceiros de coligação e com foco naquele que é o objetivo da candidatura“. Cai desta forma por terra a tentativa de Nuno Miguel Henriques de emendar a decisão precipitada de extinguir a coligação, bem expressa nas declarações que proferiu nos últimos dias: “Da minha boca não se ouviu nada sobre essa questão de romper com a coligação, e até ao lavar dos cestos é vindima, porque somos tolerantes e estamos abertos“.

Desta forma e de acordo com a posição assumida hoje pelo CDS de Alenquer, não haverá qualquer retrocesso e a decisão está tomada: o partido Popular apresenta-se sozinho a eleições e não quer nada com este PSD de Nuno Henriques. “O agora candidato do PSD foi imposto pela distrital Oeste, sem que o conhecêssemos nem que tivéssemos sido ouvidos“, justificam. Sem esta coligação dificilmente o PSD apresentará candidaturas em todas as freguesias nas eleições de Outubro. Henriques já pisca o olho aos presidentes de junta do PS que possam estar, na sua perspetiva, a fazer um bom trabalho. Voto útil à vista?

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR