Autarquia de Salvaterra suprime mensalidades das valências de infância devidas às IPSS

A Câmara Municipal de Salvaterra de Magos continua atenta aos efeitos da pandemia na sociedade local e vai apoiar financeiramente as famílias com crianças que frequentam as valências de creche, jardins de infância e centro de atividades de tempos livres.

Hélder Esménio, presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos

A Câmara Municipal de Salvaterra de Magos continua atenta aos efeitos da pandemia na sociedade local e vai apoiar financeiramente as famílias com crianças que frequentam as valências de creche, jardins de infância e centro de atividades de tempos livres.

Este apoio vai fazer-se sentir nos Centros de Bem Estar Social (CBES) de Foros de Salvaterra, Glória do Ribatejo, Marinhais e Muge e no Centro Paroquial de Bem Estar Social de Salvaterra de Magos. Serão atribuídos àquelas IPSS mais de 50 mil euros que terão como consequência a isenção das mensalidades de fevereiro.

O Presidente da Câmara Municipal sublinha que o objetivo da autarquia “é apoiar diretamente as famílias e ao mesmo tempo garantir às IPSS as disponibilidades de tesouraria que lhes permita pagar os vencimentos e assim preservar os postos de trabalho”.

Hélder Esménio explica que com este apoio financeiro as instituições não irão cobrar às famílias a mensalidade de fevereiro, mesmo que retomem o funcionamento daquelas valências ainda no decurso deste mês. “Em função da evolução da pandemia, ficou o compromisso de reavaliarmos a situação caso as limitações atuais se prolonguem no tempo”, esclarece ainda o autarca.

É ainda fundamental termos presente que a operacionalidade destas instituições é determinante na resposta que nesta altura de pandemia estamos a dar aos mais velhos mas também àqueles que se encontram doentes ou em vigilância ativa, sem suporte familiar, ao nível de refeições, medicamentos e até de apoio psicossocial“, reforçou Esménio.


Sousa e o martírio da Covid-19: “Peço a Deus que ninguém passe pelo que passei nos últimos 15 dias”

O Presidente da Câmara de Azambuja aceitou o desafio do Fundamental Canal para partilhar com os nossos leitores como foi viver quase três semanas infetado com a Covid-19. Luís de Sousa afirma: “Peço a Deus que ninguém tenha de passar pelo que passei nestes últimos 15 dias”.