Sousa e o martírio da Covid-19: “Peço a Deus que ninguém passe pelo que passei nos últimos 15 dias”

O Presidente da Câmara de Azambuja aceitou o desafio do Fundamental Canal para partilhar com os nossos leitores como foi viver quase três semanas infetado com a Covid-19. Luís de Sousa afirma: "Peço a Deus que ninguém tenha de passar pelo que passei nestes últimos 15 dias".

O Presidente da Câmara de Azambuja aceitou o desafio do Fundamental Canal para partilhar com os nossos leitores como foi viver quase três semanas infetado com a Covid-19. Luís de Sousa não esconde os sentimentos neste momento em que já testou negativo e afirma: “Peço a Deus que ninguém tenha de passar pelo que passei nestes últimos 15 dias“.

O autarca revela ter passado ocasiões complicadas e esteve mesmo alguns dias a respirar oxigénio a partir de suporte artificial. “Tive momentos de muita aflição, com falta de ar e muitas dores em todo o corpo“, revela Luís de Sousa, que está a poucos meses de completar o seu segundo mandato enquanto presidente da Câmara de Azambuja.

Sousa afirma que a autarquia ficou bem entregue nestas duas semanas e tece duras críticas à oposição, em concreto ao PSD, embora nunca tenha referido a sigla liderada por Rui Corça no executivo municipal: “A oposição mistura politiquice com a doença das pessoas; nem neste momento difícil respeitaram o nosso problema de saúde e aproveitaram para afirmar que o concelho estava ao abandono“, lamenta o autarca.

E acaba por contar um episódio: “Estava eu no pior momento da Covid-19, sem conseguir respirar e a deitar contas à vida e recebo uma mensagem deles a dizer que o Corça era o candidato, que tinha sido nomeado para voltar a ser candidato… mas no estado em que eu estava eu lá queria saber disso para alguma coisa? Nem esse momento respeitaram, infelizmente“, reforça Luís de Sousa.

Aqui fica a entrevista para ver no seu Fundamental Canal:

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR