Duas criança de 2 e 3 anos morrem em acidente perto de Manique do Intendente

Um menino de 3 anos e a irmã de 2 anos perderam a vida na sequência de um despiste de automóvel perto de Manique. A condutora deslocou-se a casa da mãe, em Manique, de onde terá levado as crianças para uma fuga que haveria de acabar em tragédia.

Uma criança de 3 anos e a irmã de 2 anos morreram na sequência de um despiste de automóvel ocorrido nas últimas horas perto de Manique do Intendente. Antes do acidente, a condutora deslocou-se a casa da sua mãe, em Manique, de onde terá levado as crianças para uma fuga que haveria de acabar em tragédia.

A avó destas duas crianças detinha o poder paternal e a mãe dos bebés, de nome Sofia Nobre, morava em Vila Nova de São Pedro. A mulher está separada do pai das crianças e tem problemas psicológicos e de bipolaridade diagnosticados. Terá aproveitado um momento de distração da avó para levar as crianças para o carro e de seguida colocou-se em fuga.

As crianças foram ambas sentadas no banco de trás e o carro iniciou uma fuga. De acordo com as autoridades que tomaram conta deste acidente, nenhum dos três ocupantes tinha colocado o cinto de segurança. A viagem acabaria por terminar de forma violenta em Arrouquelas, perto de Manique do Intendente, quando o veículo embateu no muro de uma habitação situada na Rua Manuel Sequeira Nobre, em plena estrada municipal 510.

A criança de 2 anos viria a falecer a caminho do Hospital de Santarém. Já a irmã, de 3 anos de idade, faleceu nesta tarde de sexta-feira no Hospital de Santa Maria, onde foi internada. A mãe das crianças sofreu vários traumatismos na bacia e nas pernas e está internada no Hospital de Santarém.

Luís Coelho, segundo comandante dos Bombeiros Voluntários de Rio Maior, referiu que no local as equipas de salvamento encontraram encarcerados os três ocupantes da viatura, num cenário que classificou de “nível mais elevado de encarceramento” no contexto deste género de acidentes. O segundo comandante afirmou ainda que as duas crianças já se encontravam no exterior do carro aquando da chegada dos bombeiros, depois de terem sido retiradas por um popular.

“As duas crianças estavam em situação crítica, uma delas mesmo em paragem cardio-respiratória, tendo sido este o cenário complexo com que nos deparámos”, acrescentou ainda Luís Coelho. O segundo comandante dos Bombeiros Voluntários de Rio Maior assegurou que o acidente exigiu “conjunto de meios musculados”. Foram mobilizados mais de 3 dezenas de operacionais e houve necessidade de assegurar apoio psicológico à família das vítimas.

Já a mãe destas crianças incorre na prática de crimes de subtração de menores, condução perigosa, homicídio por negligência e ofensa à integridade física negligente. O pai das crianças referiu a este propósito sobre a mãe das menores: “Quem é doente merece ser tratado com carinho; ninguém é perfeito e todos estamos sujeitos a adoecer, pelo que eu tentava sempre apoiar a minha mulher e moraliza-la nos momentos difíceis da vida”.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR