Alenquer teve pior dia da pandemia: 71 novos casos e positivos à Covid-19 em todas as freguesias

O Concelho de Alenquer registou nas últimas horas o pior dia desde inicio da pandemia de Covid-19, com a deteção de 71 novos casos em todo o território municipal, sendo que houve novos casos positivos identificados em todas as freguesias.

O Concelho de Alenquer registou nas últimas horas o pior dia desde inicio da pandemia de Covid-19, com a deteção de 71 novos casos em todo o território municipal, sendo que houve novos casos positivos identificados em todas as freguesias. Neste momento o concelho tem 444 casos ativos, com a Freguesia do Carregado a indicar 117 cidadãos positivos e 11 óbitos devidos ao coronavírus.

O mapa epidemiológico de Alenquer espelha a dificuldade que o município enfrenta no contexto desta pandemia, de resto em consonância com o que se passa a nível nacional, quando Portugal regista hoje, terça-feira, o maior número de mortes atribuídas à Covid-19. No Concelho de Alenquer este parâmetro aponta para um total de 34 mortes, 11 das quais no Carregado, 7 na Carnota e 5 na União de Freguesias de Abrigada e Cabanas de Torres.

Ainda no tocante a mortes por Covid-19, as freguesias de Ota e de Ribafria e Pereiro de Palhacana são as únicas que não registam qualquer falecimento por causas ligadas à pandemia. Olhalvo tem neste contexto 3 mortes; Alenquer, Meca e Ventosa 2 mortes cada; e em Vila Verde dos Francos e Aldeia Galega e Aldeia Gavinha faleceu uma pessoa em cada uma destas freguesias por causa do coronavírus.

Preocupantes são os números de casos ativos que se verificam em algumas freguesias de Alenquer. para além dos já referidos 117 casos no Carregado, Alenquer também ultrapassa a barreira da centena e apresenta hoje 103 casos. Abrigada e Cabanas de Torres tem 49 casos, e Meca, Olhalvo e Aldeia Galega e Aldeia Gavinha têm respetivamente 34, 33 e 3 casos ativos. Apenas Ota e Vila verde dos Francos apresentam um total inferior a 10 casos ativos.


“Há pessoas no Banco Alimentar que há semanas tinham vida perfeitamente normal” (Nelson Neves)

Nelson Neves afirma que os números atuais da Covid-19 em Portugal são o reflexo de uma má gestão política, a mesma que permitiu abertura em época de Natal que agora é espelhada nos valores avassaladores dos mapas epidemiológicos.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR