Mortes de Vila Nova da Rainha inspiram Câmara de Azambuja a financiar obras nas coletividades

O incêndio que em 2018 vitimou 8 pessoas em Vila Nova da Rainha, no Concelho de Tondela, levou a Câmara de Azambuja a traçar um plano de apoio com vista a dotar as sedes de coletividade de condições de segurança, a ver se a tragédia não se repete por estas bandas.

Foi a 13 de Janeiro de 2018 em Vila Nova da Rainha, no Concelho de Tondela: um incêndio numa associação recreativa causou oito vítimas mortais e pelo menos 34 feridos foram transportados para os hospitais de Tondela, Viseu e Coimbra. A noticia deixou inicialmente Luís de Sousa com o coração nas mãos, já que o autarca num primeiro instante pensou tratar-se da “sua” Vila Nova da Rainha, no Município de Azambuja.

Estas vítimas mortais acabaram por sucumbir às chamas quando jogam à Sueca. O fogo deflagrou e estas pessoas ficaram encurraladas devido as deficientes condições de segurança do edifício sede daquela coletividade nortenha. Passado o susto inicial, o Presidente da Câmara de Azambuja não esqueceu o evento e a autarquia avançou de imediato para uma inspeção a todas as sedes de associações desportivas, recreativas e culturais do concelho.

Sousa referiu ao Fundamental: “A partir desse dia nomeámos uma comissão aqui na Câmara de Azambuja que tem vindo a efetuar vistoria a todas as coletividades do concelho, e poucas ou mesmo nenhuma tem as condições exigidas“, revela o autarca. Os relatórios têm chegado à câmara e foram levados a cabo com o contributo da Proteção Civil e de técnicos da autarquia.

A Casa do Povo de Aveiras de Cima adiantou-se neste particular e vai necessitar de 89 mil euros para levar à prática as alterações necessárias para dotar o seu edifício sede com as normas de segurança exigidas. “O pedido que nos chegou por parte da Casa do Povo de Aveiras será a mola motivadora de uma estratégia que a câmara vai colocar em prática e que permitirá concretizar um apoio de 80 por cento do valor das obras que as coletividades terão de realizar neste contexto“, explicou Luís de Sousa.

O autarca revelou que a decisão foi tomada numa reunião que teve com António José Matos, vereador da cultura. “A Câmara de Azambuja vai financiar o valor das obras de requalificação das sedes ao nível da segurança em 80 por cento“, afirmou Luís de Sousa. A autarquia está agora a estudar a forma legal de o fazer, sendo que a Casa do Povo de Aveiras será financiada em cerca de 71 mil euros.


Presidente da nova associação empresarial de Alenquer: “Concelho tem vitalidade extraordinária ao nível económico”

Raquel Ribeiro é a presidente da AGEIRA, a nova associação empresarial do Concelho de Alenquer. Convidada para a Grande Entrevista no Fundamental Canal, a empresária garante que na sua perspetiva o município tem uma vitalidade extraordinária ao nível económico.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR