Executivo liderado por Sousa volta a baixar o IMI no Concelho de Azambuja

O Executivo Municipal de Azambuja decidiu voltar a baixar o valor a pagar pelos munícipes relativo ao Imposto Municipal sobre Imóveis. A decisão foi tomada no decorrer da última reunião de câmara levada a cabo no passado dia 17 de Novembro.

O Executivo Municipal de Azambuja decidiu voltar a baixar o valor a pagar pelos munícipes relativo ao Imposto Municipal sobre Imóveis. A decisão foi tomada no decorrer da última reunião de câmara levada a cabo no passado dia 17 de Novembro.

Relativamente ao Imposto Municipal sobre Imóveis, foi aprovada a descida da taxa para 0,35% e a manutenção dos apoios já praticados, designadamente o “IMI familiar” e a discriminação positiva nas freguesias mais envelhecidas. Refira-se que o município tem vindo a reduzir a taxa do imposto cobrado sobre os prédios urbanos.

Esta redução pode, de resto, ser relembrada quanto aos seus valores desde 2017, quando então baixou de 0,4% para 0,38%. Em 2018 desceu para 0,37%, e em 2019 voltou a descer um ponto para 0,36%, sendo que em 2020 manteve-se e agora em 2021 volta a descer um ponto para 0,35%.

No designado IMI Familiar, os imóveis destinados a habitação própria e permanente que seja o domicílio fiscal do proprietário irão manter uma redução de 20,00 euros – no caso de 1 dependente; de 40,00 euros – no caso de 2; e de 70,00 euros – no caso de 3 ou mais dependentes. Por outro lado, o IMI no Concelho de Azambuja continua a contemplar a discriminação positiva aplicada em algumas freguesias mais afetadas pelo despovoamento e pelo envelhecimento da população.

Deste modo mantem-se em 2021 a redução de 22% na taxa a aplicar na União de Freguesias Manique do Intendente, Vila Nova de S. Pedro e Maçussa; 17% na Freguesia de Vale do Paraíso; 12% na Freguesia de Alcoentre; e 8% na Freguesia de Aveiras de Baixo. Luís de Sousa referiu ao Fundamental: “Com esta medida, o município continua a aliviar o imposto sobre imóveis a todos os munícipes do concelho“.