Autarquia de Alenquer acusa IP de não querer alterar projeto da EN9 na Merceana

O vice-presidente da Câmara de Alenquer aponta o dedo à Infraestruturas de Portugal, acusando os seus responsáveis de intransigência no projeto de requalificação do troço urbano da Merceana da Estrada Nacional 9.

A Câmara Municipal de Alenquer aponta o dedo à empresa pública Infraestruturas de Portugal, acusando os seus responsáveis de intransigência no que ao projeto de requalificação do troço urbano da Merceana da Estrada Nacional 9 diz respeito. Esta posição da autarquia resulta de uma reunião ocorrida a 5 de Novembro.

“A empresa Infraestruturas de Portugal mantém-se intransigente quanto aos pedidos do município de Alenquer para serem efetuadas alterações ao projeto de requalificação da EN9 no troço urbano da Merceana, após uma reunião a 5 de novembro entre as duas entidades nos Paços do Concelho”, referiu Rui Costa, vice-presidente da Câmara de Alenquer.

O autarca acrescenta: “Desde que teve conhecimento do projeto que o município iniciou uma série de contatos com a IP, manifestando a sua discordância quanto ao estreitamento da faixa de rodagem no troço urbano da Merceana, e alertando para necessidade de rebaixamento dos passeios e colocação de pavimento táctil para invisuais nas passadeiras, como previsto na Lei das Acessibilidades”.

Rui Costa assegura que, e citamos, “Numa primeira fase a IP acedeu a rebaixar os passeios e a alargar a faixa de rodagem, mas as alterações efetuadas revelaram-se insuficientes, persistindo o problema de cruzamento de veículos pesados naquela artéria, como os técnicos do município puderam constatar após visita ao local”.

De acordo com o vice-presidente do executivo seguiu-se nova troca de correspondência, que culminou numa reunião onde estiveram presentes o presidente e vice-presidente do município, Pedro Folgado e Rui Costa, e representantes da administração e corpo técnico das Infraestruturas de Portugal.