Empatia entre Alenquer e Croácia foi Vital para a produção de um vinho de excelência

Alenquer promoveu hoje uma visita aos Viveiros Vitícolas Pierre Boyer em Penuzinhos, na Freguesia da Ventosa, onde estão plantadas cinco castas autóctones da região de Benkovac na Croácia e cinco castas genéricas daquele país.

Para ajudar o leitor a perceber o título: Empatia é nome de vinho premiado com medalha de ouro em 2018. E é produzido pela Adega da Labrugeira a partir da Casta Vital, autóctone da região de Alenquer, que estabeleceu uma parceria com a Croácia que terá sido fundamental para o aparecimento deste vinho de excelência.

Agora expliquemos o que aconteceu hoje: o município de Alenquer promoveu na manhã desta sexta-feira uma visita aos Viveiros Vitícolas Pierre Boyer em Penuzinhos, na Freguesia da Ventosa, onde estão plantadas cinco castas autóctones da região de Benkovac na Croácia e cinco castas genéricas daquele país.

Esta visita surge na sequência de um acordo de cooperação internacional firmado em 2017 entre a autarquia de Alenquer e a cidade de Benkovac, em parceria com a Universidade de Zagreb e o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária (INIAV), com vista ao estudo e permuta de vinhos elaborados a partir de castas de ambas as regiões.

De realçar que na região de Benkovac na Croácia a experiência decorre de forma recíproca, sendo que os croatas desenvolvem a plantação de castas autóctones da região de Alenquer. A troca de experiências entre estas regiões de países tão distantes acaba por resultar numa frutífera permuta de conhecimentos, com claras vantagens para a produção de produtos vitícolas diferenciados.

Destaque neste evento para as presenças de Pedro Folgado e Paulo Franco, presidente e vereador da autarquia de Alenquer; de Fernando Silva, Presidente da Assembleia Municipal, e ainda de Lisete Almeida, Presidente da Junta da Ventosa. As explicações técnicas sobre o desenvolvimento dos estudos ficaram a cargo dos engenheiros Eira Dias, da Adega da Labrugeira, e Edi Maletic, croata que interveio por vídeo conferência. As intervenções foram transmitidas por vídeo conferência entre Portugal e a Croácia.

Pedro Folgado salientou que este projeto teve inicio com a intenção do município de revitalizar a Casta Vital. “Esta vontade política foi alargada a um território internacional no sentido de levarmos a cabo esta experiência de troca de castas autóctones, estabelecendo desta forma uma aproximação política e de conhecimentos entre ambos os países“, referiu o Presidente da Câmara de Alenquer no seu discurso.

Já Paulo Franco agradeceu à Adega Cooperativa da Labrugeira o ter aceite produzir este projeto. “As reações que temos tido são muitos boas, prova de que as pessoas gostam deste vinho e reconhecem a sua qualidade e originalidade“. O vereador refere-se naturalmente ao Empatia, um Branco que resulta da revitalizada Casta Vital e que foi premiado com a medalha de ouro no Concurso de Vinhos de Lisboa realizado em 2018.

Pedro Folgado também corroborou da opinião de Paulo Franco: “É prova de que esta é uma boa Casta, que produz bom vinho, e que em tempos sentia problemas na sua sobrevivência devido às acentuadas diferenças entre as várias estações do ano mas que agora tem mais facilidade em prosperar com as alterações climáticas que amenizaram as desigualdades entre estações“.

O líder do executivo camarário também formulou votos para que a curto prazo esta experiência conjunta entre Alenquer e a região croata possa resultar num vinho produzido em conjunto: “Fomos muito bem recebidos na Croácia quando lá estivemos e sentimos que os croatas também estão muito expectantes em relação a este projeto“. Paulo Franco destaca, por sua vez, a importância de apresentar produtos diferenciados e exclusivos num Mundo cada vez mais competitivo e exigente também nesta vertente.


Presidente da Cruz Vermelha do Carregado: “Covid-19 está para ficar nas nossas vidas”

Vítor Fernandes é o mais recente convidado de Nuno Cláudio para a grande entrevista no Fundamental Canal. O Presidente da delegação do Carregado da Cruz Vermelha falou do momento em que vive a instituição e contou como foram vividos os primeiros tempos de pandemia por parte de efetivos e voluntários deste núcleo de Alenquer.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR