Concelho de Azambuja: Sobrepopulação de cães e gatos de rua preocupam população

O excesso de cães e de gatos de rua em algumas localidades do Concelho de Azambuja está a preocupar a população residente nessas mesmas localidades. A situação de descontrolo populacional nas colónias de gatos do município é referenciada por moradores das Virtudes.

O excesso de cães e de gatos de rua em algumas localidades do Concelho de Azambuja está a preocupar a população residente nessas mesmas localidades.

De acordo com o movimento que promove a campanha para a esterilização de animais abandonados, a situação de descontrolo populacional nas colónias de gatos do município é particularmente sentido na Urbanização da Socasa, nas Virtudes.

Este movimento solicita à autarquia que responda aos apelos dos cidadãos residentes no concelho e que utilize os apoios do governo às esterilizações para investir no bem estar dos animais. “Tomámos conhecimento, através de queixas de munícipes, que a Câmara de Azambuja não tem medidas de esterilização para reduzir a sobrepopulação de cães e gatos, nem implementa o programa CED para gatos de rua“, referem.

De acordo com este movimento, a situação de descontrolo populacional nas colónias de gatos do município é particularmente sentida nas Virtudes, sobretudo na Urbanização da Socasa. “Os gatos das colónias do concelho da Azambuja têm o direito, assegurado pela Lei 27/2016, de serem esterilizados e restituídos às suas colónias de origem, e não recolhidos por nenhuma instituição uma vez que são animais que não se adaptam à vida em clausura“, acrescentam.

De acordo também com os percursores deste movimento, os problemas entre as colónias e os moradores desaparecem quando os animais são esterilizados e deixam de ter os comportamentos típicos das épocas de cio, tais como miados, maus cheiros e lutas. A lei determina ainda que os animais recolhidos nos canis que não sejam reclamados pelos seus detentores no prazo de 15 dias a contar da data da sua recolha presumem-se abandonados. Estes devem ser obrigatoriamente esterilizados e encaminhados para adopção.

O movimento que promove a campanha para a esterilização de animais abandonados diz igualmente que o canil da Azambuja que não tem o licenciamento autorizado pela DGAV por não cumprir as disposições legais e relembra que até 30 de Novembro a autarquia pode utilizar os apoios para 2020 destinados a esterilizar animais carenciados.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR