Azambuja passa de 77 para… 5 casos positivos de Covid em menos de 2 meses

Os dados oficiais alusivos a esta sexta-feira fornecidos pelas autoridades concelhias apontam para 5 cidadãos que ainda estão a braços com a doença na Freguesia de Azambuja. Um número muito distante do pico de 77 casos positivos registados a 10 de Junho, há menos de dois meses. 

A Freguesia de Azambuja está claramente a livrar-se dos casos positivos de covid-19 a um ritmo notável. Os dados oficiais alusivos a esta sexta-feira fornecidos pelas autoridades concelhias apontam para 5 cidadãos que ainda estão a braços com a doença. Um número muito distante do pico de 77 casos positivos registados a 10 de Junho, há menos de dois meses. 

As últimas semanas têm sido de combate bem sucedido à doença e os novos casos não aparecem na Freguesia de Azambuja desde há vários dias. Com a recuperação diária que se verifica de pessoas que vão vencendo a covid-19 Azambuja tem hoje somente 5 casos activos, sendo que Aveiras de Cima apresenta 4 cidadãos que ainda padecem da infecção nesta sexta-feira. O Concelho de Azambuja conta com um total de 181 cidadãos que venceram a doença desde o inicio da pandemia.

Inês Louro vê com grande alívio os números que vão sendo divulgados oficialmente de dia para dia. A Presidente da Junta de Freguesia de Azambuja esteve sempre na linha da frente desde o inicio da pandemia e declara ao Fundamental: “Foram meses muito árduos de trabalho para os funcionários da freguesia, mas nesta fase importa também destacar o importante apoio da Câmara Municipal, da Protecção Civil, dos Bombeiros de Azambuja, das nossas IPSS e da Santa Casa da Misericórdia”, refere Inês Louro que, recorde-se, anunciou através do Fundamental a sua recandidatura à presidência da Freguesia em 2021.

A autarca ainda acrescenta a propósito dos números actuais da pandemia em Azambuja: “todos foram determinantes no desempenho das suas funções e no apoio demonstrado no caminho que fizemos até aqui, pois só com muita união conseguimos sair deste fosso onde espero que não voltemos a regressar“.

Inês Louro refere igualmente, e citamos: “Importa também agradecer o comportamento da população da freguesia que muito contribuiu para o regresso à normalidade que está a verificar-se gradualmente, bem como a compreensão em relação ao facto de termos atrasado outros serviços em prol da prioridade de combater a Covid-19“.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR