CERCI de Azambuja: direcção decidiu colocar em quarentena preventiva 48 formandos

São 48 formandos e 6 funcionários do Centro de Formação da CERCI de Azambuja que estão em quarentena depois de um caso positivo detectado num aluno. Este aluno é filho de uma senhora que testou positivo e que trabalha numa unidade fabril do Carregado.

São 48 formandos e 6 funcionários do Centro de Formação da CERCI de Azambuja que estão em quarentena depois de um caso positivo detectado num aluno. Este aluno é filho de uma senhora que testou positivo e que trabalha numa unidade fabril do Carregado. A direcção da CERCI tomou a decisão imediata de colocar em quarentena os 48 alunos e os 6 formadores do Centro.

Importa referir que a formação da CERCI está de quarentena apenas por uma questão de precaução, tal como José Manuel Franco explicou já esta tarde ao Fundamental: “Em articulação com as autoridades de saúde de Azambuja e de Alenquer tomámos a decisão de colocar estes formandos em quarentena, sendo que a CERCI disponibilizou de imediato todo o apoio logístico e até financeiro para auxiliar estas pessoas neste período, se necessário, no tocante a cuidados de saúde ou aquisição de material de protecção”.

O Presidente da Direcção da CERCI explicou ainda que o formando que testou positivo já não estava na instituição há mais de uma semana: “Assim que a mãe testou positivo a aluna já não voltou a frequentar a instituição”, assegura igualmente José Manuel Franco, que informou também que a aluna em causa testou positivo no dia de ontem.

No seguimento desta situação, foram 48 os formandos e 6 formadores que a direcção da CERCI resolveu hoje, quinta-feira, colocar em quarentena preventiva, sendo estas 54 pessoas os contactos directos e indirectos relacionados com a aluna que testou positivo. “É uma questão preventiva e de total precaução”, faz questão de reforçar José Manuel Franco.

De realçar igualmente que estamos a falar de um Centro de Formação que opera na Praceta da Fataça, no Bairro da Ónia, num edifício separado do edifício base da CERCI. O Presidente da instituição assegura que os dois polos de formação da instituição foram colocados em quarentena. “Para além do polo da Quinta das Rosas, também o polo da Praceta da  Fataça foi sujeito ao mesmo procedimento preventivo”, garante José Manuel Franco.

O Presidente da CERCI assegurou igualmente ao Fundamental que tanto os formandos como os formadores vão agora ficar 14 dias em casa e vão ser acompanhados em permanência. “O procedimento que se leva a cabo com teste ou sem teste é exactamente o mesmo: as pessoas vão ser acompanhadas diariamente e se alguém revelar sintomas agiremos em conformidade”, garante o Presidente da CERCI de Azambuja, que fez questão de reforçar: “Não há qualquer foco na CERCI, há que ter a capacidade de perceber o que está a acontecer e não criar alarmismos desnecessários”.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR