Azambuja: fadista Fátima Regateiro pôs termo à vida nesta quarta-feira

Mais uma daquelas notícias tristes que não gostamos de dar. Faleceu no inicio de tarde desta quarta-feira vítima de suicídio a conhecida fadista azambujense Fátima Regateiro. O alerta para o sucedido foi dado pela Protecção Civil por volta das 14 horas e 11 minutos de hoje.

Mais uma daquelas notícias tristes que não gostamos de dar. Faleceu no inicio da tarde desta quarta-feira vítima de suicídio a conhecida azambujense Fátima Regateiro. Fadista amadora e primeira mulher maqueira do Corpo de Bombeiros Voluntários de Azambuja, Fátima deixa dois filhos e uma filha. O alerta para o sucedido foi dado pela Protecção Civil por volta das 14 horas e 11 minutos de hoje.

Os Bombeiros Voluntários de Azambuja publicaram na sua página oficial a seguinte nota: “A partida de Maria de Fátima Regateiro representa uma enorme perda para toda a comunidade azambujense onde irá deixar um grande vazio e uma enorme saudade, e a par do lamento pela sua perda queremos deixar também a nossa grande homenagem a esta grande mulher e fadista, além do nosso profundo pesar a toda a família e amigos que com ela, de alguma forma, partilharam a sua caminhada“.

Os Bombeiros de Azambuja recordam: “Por ocasião do 87 aniversário da Associação, em 20 de Janeiro de 2019, decidiu a Assembleia Geral atribuir-lhe a “Medalha de Gratidão, tantas foram as vezes que com esta instituição colaborou em inúmeras ocasiões e não apenas como a fadista excepcional que era, participando nos inúmeros espectáculos levados a cabo para angariação de fundos“.

Também o artista Miguel Ouro está destroçado pela partida desta sua amiga de longa data. Miguel confessou ao Fundamental o que lhe vai na alma perante o sucedido: “Nestas alturas as palavras são sempre parecidas, de pesar, mas eu tenho uma história intensa com a Fátima pois comecei a cantar precisamente com ela nas noites de fado amador, em 1996 ou 1997, sendo que a Fátima já cantava no rancho nessa altura“. Miguel acrescenta: “Ficámos sempre bastante próximos e ela fazia parte do elenco da Terra Velhinha“.

O artista de Azambuja ainda acrescenta, em relação a Fátima Regateiro: “A Fátima e o Xico Pimenta sempre foram muito compatíveis, duas grandes vozes que estavam bem um para o outro, e a Fátima era sempre uma figura de peso em qualquer cartaz aqui na região“. Miguel Ouro também relembra que Fátima era uma pessoa muito considerada pelos colegas e bastante disponível para qualquer iniciativa.

Fátima Regateiro tinha cerca de 60 anos e para além dos três filhos já referidos neste artigo também deixa vivos os pais, que sofrem nesta altura com a partida prematura da sua filha. Para a comunidade de Azambuja e para a região esta é uma perda significativa, a partida de um vulto da cultura local cuja voz e talento não deixou ninguém indiferente ao longo de décadas. Para a família enlutada, o Fundamental endereça as mais sentidas condolências.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR