Autarquia de Salvaterra destina 180 mil euros para apoiar associações

A Autarquia de Salvaterra de Magos aprovou quatro protocolos e uma proposta que ascendem a cerca de 180 mil euros destinadas a apoiar associações do município que estejam afectadas pela pandemia.

A Autarquia de Salvaterra de Magos aprovou quatro protocolos e uma proposta que ascendem a cerca de 180 mil euros destinadas a apoiar associações do município que estejam afectadas pela pandemia. “Aproximadamente 70 por cento desta verba destina-se a medidas que vão fazer face aos efeitos da Covid-19”, refere fonte da autarquia.

Os Bombeiros Voluntários de Salvaterra serão uma das associações beneficiadas com esta verba, uma vez que se verificou nesta corporação uma significativa redução dos serviços de transportes de doentes não urgentes. Desta forma o município reforça o apoio anual aos Bombeiros Voluntários em mais de 15 por cento. Serão mais 30 mil euros a que acrescem 2 mil euros para aquisição de equipamento de protecção individual para o combate a fogos rurais.

O Município de Salvaterra vai igualmente destinar até cerca de 70 mil euros para garantir o financiamento da rede de transporte público de passageiros. Esta medida contribuirá para manter o serviço e ajudará a preservar postos de trabalho. Os protocolos aprovados na última reunião beneficiam e viabilizam também as actividades de associações culturais e desportivas do concelho que o município financia ao longo do ano, estando aqui incluído um apoio para a aquisição de uma viatura por parte do Grupo Desportivo de Marinhais.

Recorde-se que na reunião anterior do executivo municipal foi também atribuído um apoio suplementar de 4 mil euros à Associação Humanitária do Granho para fazer face a parte da perda da receita que tiveram enquanto o Centro Paroquial de Bem-Estar Social de Salvaterra de Magos viu aprovados apoios de 21 mil euros igualmente no mesmo contexto.

A este propósito o Presidente de Câmara de Salvaterra de Magos referiu: “O Município vai ter de continuar atento às necessidades e às dificuldades por que passam as associações e as IPSS do concelho, pois elas são fundamentais na estratégia e no projecto municipal de promoção da cultura e do desporto e no acompanhamento daqueles que, entre nós, são mais vulneráveis, sendo muito importante que consigamos ir encontrando alguma resposta financeira para os seus constrangimentos”.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR