Alenquer apresenta o seu Laboratório Verde e pretende ser município amigo do ambiente

A autarquia de Alenquer inaugurou esta manhã o Espaço Interactivo GreenLab. O município foi um dos 12 seleccionados para desenvolver o chamado laboratório vivo para a descarbonização, com financiamento do Fundo Ambiental.

Não poderia haver melhor contexto do que o Dia Mundial do Ambiente, que se assinala hoje: a autarquia de Alenquer inaugurou esta manhã o Espaço Interactivo do Alenquer GreenLab. O município foi um dos 12 seleccionados para desenvolver o chamado laboratório vivo para a descarbonização, com financiamento do Fundo Ambiental.

A cerimónia contou com a presença do executivo camarário, do presidente da Assembleia Municipal e do Presidente da União de Freguesias de Alenquer. Estiveram igualmente presentes representantes das entidades que são parceiras do município de Alenquer neste projecto experimental na área do ambiente. Passemos então a apresentar aos nossos leitores a essência deste GreenLab.

Começamos por referir que se trata de um projecto ambiental com três vertentes associadas: economia circular e ambiente, transportes e mobilidade e edifícios e eficiência energética. São diversas as entidades que interagem com o município de Alenquer e que vão utilizar o GreenLab da vila presépio para desenvolver as suas experiências nestas três vertentes.

Pedro Folgado, presidente da Câmara de Alenquer, explica a importância deste projecto para o município: “Houve muitas autarquias a candidatarem-se e por serem muitos os candidatos houve que seleccionar aqueles que poderiam fazer a diferença em determinado território”. Desta forma, Alenquer terá feito efectivamente essa diferença com o projecto apresentado, tendo merecido a escolha do Fundo Ambiental no contexto de uma vasta região.

“Pretende-se sobretudo sensibilizar os alenquerenses para a importância do ambiente e da descarbonização para as vilas e cidades”, acrescenta o presidente, frisando que a iniciativa almeja contribuir para uma progressiva independência da utilização massiva do automóvel. “Andar a pé ou em modo eléctrico trará vantagens para todos, e este projecto passa por consciencializar os habitantes de Alenquer e aqueles que nos visitam para essa demanda”, assegura Pedro Folgado.

O autarca refere igualmente que é relevante mostrar a quem visita Alenquer que a vila e consequentemente o município têm a preocupação ambiental como prioridade na autarquia. “Toda a gente tem a ganhar com este processo, tanto os que cá vivem como os que cada vez mais nos visitam no âmbito de iniciativas como a Alma do Vinho ou as Festas do Divino Espírito Santo, que este ano sofreram com a pandemia mas que brevemente voltarão à sua normalidade”, frisou também Pedro Folgado.

Recorde-se que a 20 de Janeiro foi implementada uma nova organização no trânsito na Vila de Alenquer no âmbito deste projecto, mas a 3 de Fevereiro a autarquia anunciou o regresso à forma original desta mesma organização viária. “Há um caminho a percorrer, e nessa altura recuámos na decisão inicial porque fui sensível ao argumento das pessoas que têm pouca mobilidade e não tinham forma de se deslocar ao centro de Alenquer”, explicou Pedro Folgado, frisando ter-se tratado “de um aparente passo atrás que agora significa dois passos em frente”.

O autarca realça igualmente a importância deste projecto no âmbito das obras de requalificação que vão ter lugar no contexto do PEDU. “Depois de constatarem a dimensão e o alcance dessas melhorias, as pessoas vão imediatamente perceber a importância deste projecto ambiental que hoje aqui apresentamos”, assegura o Presidente da Autarquia. “Vamos procurar que no centro da vila circulem exclusivamente autocarros eléctricos, sendo que os carros irão ficar nas extremidades da vila”, explica ainda Pedro Folgado no que toca ao propósito maior deste GreenLab.

Pedro Folgado defende que Portugal tem um potencial significativo no que diz respeito a energias alternativas e sustenta a opinião de que o país deveria apostar mais nesta vertente: “Estou convencido de que há cada vez mais pessoas sensibilizadas para esta vertente, e com outro enquadramento fiscal a aquisição destes veículos estaria mais ao alcance das pessoas, mas também me parece que esses incentivos vão sendo adaptados à medida que vão aparecendo novas e mais avançadas soluções tecnológicas”, afirmou o autarca.

Já o vereador Paulo Franco, que tem a seu cargo a gestão operacional dos espaços verdes e ambiente, referiu: “Os nossos parceiros nesta iniciativa deram-nos a garantia de poder realizar um projecto que correspondesse em todas as dimensões na base das quais foi desenhado, quer a nível da economia circular e ambiente, que a nível dos transportes e mobilidade, mas também no contexto dos edifícios e eficiência energética”.

Franco lembrou que neste laboratório estão igualmente a ser testadas um conjunto de soluções tecnológicas inovadoras e realçou também a “data feliz” que corresponde a este Dia Mundial do Ambiente como momento escolhido pelo executivo para a apresentação pública do projecto, que procura afirmar Alenquer como um “município amigo do ambiente”.

“Quem quiser saber mais sobre as soluções que estão a ser desenvolvidas neste laboratório pode deslocar-se a este espaço interactivo, até porque o objectivo também passa por replicar estas experiências e soluções no restante território municipal”, assegurou Paulo Franco, que frisou igualmente o facto de Alenquer assumir o caminho da sustentabilidade ambiental como desígnio para um futuro próximo.

VIANuno Cláudio
COMPARTILHAR