Salvaterra: Falcoaria Real e Escaroupim são os grandes baluartes da promoção turística do concelho

A Falcoaria Real e o Escaroupim continuam a ser estruturantes na promoção e divulgação turística de Salvaterra. Quem o afirma é Hélder Esménio, presidente da autarquia salvaterrense e grande dinamizador de ambas as valências nos últimos anos.

Crianças do concelho de Azambuja vão visitar a Falcoaria Real de Salvaterra durante as férias de Páscoa

A Falcoaria Real e o Escaroupim continuam a ser estruturantes na promoção e divulgação turística do Concelho de Salvaterra de Magos. Quem o afirma é Hélder Esménio, presidente da autarquia salvaterrense e grande dinamizador de ambas as valências nos últimos anos. O Museu “Escaroupim e o Rio” e a Casa Tradicional Avieira receberam no ano passado 9895 visitantes.

Já a Falcoaria Real tem estabilizado o número de visitantes próximo da dezena e meia de milhar, quintuplicando as visitas a este espaço museológico em relação a 2013. O número de visitantes da Falcoaria estabilizou desde 2017.

Face à relevância dos números atingidos, o Município de Salvaterra de Magos decidiu criar em parceria com a Universidade de Évora uma pequena loja, onde está exposto algum do artesanato e dos produtos locais emblemáticos do concelho. Refira-se que a autarquia já dotou a Falcoaria Real de uma galeria de exposições temporárias e duplicou o espaço de exposição permanente naquela estrutura.

Já anteriormente a Câmara Municipal de Salvaterra tinha conseguido localizar a sede da Associação Portuguesa de Falcoaria no seu território e conseguiu também criar o único centro de documentação nacional dedicado à arte da Falcoaria e ao Património Imaterial, o Centro de Documentação “Joaquim da Silva Correia e Natália Correia Guedes”, inaugurado em 2017, tal como o Fundamental noticiou.

Nesta loja estão representados os bordados típicos de Glória do Ribatejo, a olaria de Muge, vinhos da Casa Cadaval, artigos em couro e algumas publicações sobre a história e o património concelhio. Destaque também para, numa parceria com a Universidade de Évora, a edição de uma primeira colecção de dez postais com imagens do edifício da Falcoaria Real, das aves e da envolvente paisagística.