Valada: meio milhão de euros para reabilitar diques

O auto de consignação da empreitada de reabilitação do sistema de diques de Valada já foi assinado e obra começa nos próximos dias. O prazo de execução dos trabalhos é de 90 dias e o investimento total é superior a 530 mil euros.

A assinatura do auto de consignação da empreitada de reabilitação do sistema de diques de Valada decorreu no parque de merendas desta freguesia do concelho do Cartaxo no dia 12 de Agosto. A obra vai reabilitar o sistema de diques que se estende por 24,5 Km e por três concelhos – Azambuja, Cartaxo e Santarém–, protegendo três aglomerados populacionais da freguesia de Valada – Reguengo, Valada e Porto de Muge –, e 700 hectares de terrenos agrícolas de elevada produção ao longo de todo o ano.

A obra foi adjudicada pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA) à empresa Tâmega Engineering, S.A, por 530.463,95 euros e tem o prazo de execução de 90 dias a partir da assinatura do auto de consignação, sendo que na segunda quinzena de Setembro decorrerão os trabalhos de maior expressão no terreno. Os trabalhos a realizar prevêem a reparação do corpo dos diques, o preenchimento de cavidades, refechamento das juntas e reparação e substituição das portas de água.

Pedro Ribeiro, presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, recebeu em Valada o secretário de Estado do Ambiente. João Ataíde e o vice-presidente da APA, Pimenta Machado da Silva, estiveram presentes para a cerimónia de assinatura que contou com a presença de Margarida Abade, presidente da junta de freguesia, de José Guedes, Presidente do POSEUR,  e ainda de representantes da empresa que venceu o concurso.

Pedro Ribeiro destacou a importância da obra por se tratar de um investimento na segurança de pessoas e bens, mas também pela sua relevância para as empresas que desenvolvem a sua actividade nas terras férteis de Valada. Ribeiro recordou que este ano “assinalam-se 40 anos sobre a cheia de 1979, catástrofe que tanta perda trouxe ao nosso território e às nossas gentes, e congratulo-me que possamos associar esta data a um investimento superior a meio milhão de euros, cujo objectivo é reforçar a segurança de quem aqui vive, aqui trabalha e aqui investe”.

Pedro Ribeiro aproveitou para apelar ao secretário de estado e aos representantes das instituições presentes para a urgente intervenção na Ponte Rainha Dona Amélia e no Viaduto de Santana, cujas limitações, de acordo com o autarca, penalizam o crescimento da actividade económica no concelho. “Neste território, a riqueza natural e o trabalho árduo dos nossos agricultores e empresários não têm a resposta adequada nas infraestruturas que os deveriam servir”, complementou Ribeiro.

O presidente da câmara municipal deixou ainda um apelo ao governo para que Valada possa contar com um Plano Director Municipal (PDM) que contribua para inverter o recuo demográfico e permita a projectos que, respeitando o ambiente, se possam desenvolver e criar riqueza na região.

Investir 74 milhões de euros até 2020 na requalificação de Estações de Tratamento de Águas Residuais como medida para melhorar a qualidade da água do rio e reduzir focos de poluição é outra das acções que o presidente da câmara apontou na mesma ocasião como essencial para a valorização e preservação do Rio Tejo enquanto património ambiental e de riqueza para as populações.