Alcoentre: bombeiro António Pinto em estado grave após explosão de botija de gás

Sub-chefe dos Bombeiros de Alcoentre gravemente ferido em explosão que terá sido causada pelo rebentamento de uma botija de gás. Há 3 feridos. e a casa de António Pinto ficou destruída.

Sub-chefe Pinto ficou gravemente ferido

Uma explosão ocorrida no final da manhã desta quarta-feira em Alcoentre causou três feridos que se encontram em estado grave. A explosão ocorreu numa habitação desta vila milenar, que pertence ao concelho de Azambuja. Segundo informações apuradas pelo Fundamental, as vítimas foram encaminhadas para o Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

De acordo com informações a que o Fundamental teve acesso, uma das vítimas é mesmo o sub-chefe da corporação dos Bombeiros Voluntários de Alcoentre, António Pinto. Os motivos da explosão ainda estão por confirmar mas acredita-se que a mesma tenha sido causada após o rebentamento de uma botija de gás. Eifel Garcia, Comandante dos Voluntários de Alcoentre, classificou a explosão como uma fuga de gás com deflagração. No seguimento da mesma, a casa de habitação de António Pinto ficou destruída e o sub-chefe dos Bombeiros ficou em estado considerado muito grave.

A Polícia Judiciária e cerca de dezena e meia de elementos dos Bombeiros Voluntários de Alcoentre estiveram no local, assim como agentes da Guarda Nacional Republicana. António Pinto será mesmo a vítima em estado considerado mais grave no contexto desta explosão. As restantes duas vítimas, também transportadas ao hospital, serão familiares de António Pinto.

Refira-se que o sub-chefe António Pinto parece ser perseguido pelo azar. A 29 de Agosto de 2016 este mesmo elemento da corporação de Bombeiros de Alcoentre acabou por fracturar um pé durante as operações de combate às chamas de um incêndio em Aveiras de Cima. O incêndio foi na altura combatido por diversas corporações de bombeiros da região, onde também estavam incluídos os Voluntários de Alcoentre.

O sub-chefe Pinto acabou nessa essa ocasião por fracturar um pé durante as operações de combate às chamas. O operacional dos Bombeiros de Alcoentre teve o azar de caír num buraco de grandes dimensões no local das chamas, não assinalado nem coberto por taipais, acabando por contrair a lesão no pé na sequência da queda. António Pinto foi assistido pelos socorristas da Cruz Vermelha de Aveiras de Cima presentes no local e que davam assistência ao trabalho das autoridades e dos soldados da paz.

 

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR