António José Matos avisou Marcelo Rebelo de Sousa: “estamos a criar desigualdades sociais”

António José Matos não teve papas na língua. Aproveitando a presença do Presidente da República em Azambuja, o vereador dirigiu-se a Marcelo Rebelo de Sousa e denunciou as desigualdades de tratamento no que toca aos passes sociais.

António José Matos não teve papas na língua. Aproveitando a presença do Presidente da República em Azambuja, o vereador dirigiu-se a Marcelo Rebelo de Sousa e denunciou as desigualdades de tratamento no que toca aos passes sociais.

Matos tomou a palavra mesmo antes de Marcelo a discursar no encerramento da jornada nacional de reflexão sobre o tema “A economia social no Portugal 2030”, que teve lugar em Azambuja. “A economia social é, acima de tudo, para acabar com algumas desigualdades sociais, e estamos num momento em que se estão a criar muitas desigualdades sociais”, começou por afirmar António José Matos.

“Cada pessoa que viva em Lisboa tem agora direito a 25 euros com o novo passe social, dinheiro que é dado pelo governo”, concretizou o vereador que no mandato passado foi presidente da Assembleia Municipal, comparando a situação com o que se passa em Azambuja: “Em Azambuja cada pessoa tem direito a apenas quatro euros”, concretizou Matos.

Desta forma, António José Matos deu o recado a Marcelo: o concelho da Azambuja está a ser tratado “de forma diferente”. Matos solicitou a Marcelo: “como guardião da Constituição, olhe para este assunto, sob pena de se verificar uma grande desigualdade social para as pessoas de Azambuja e do resto do país”.

Em resposta a Matos, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que a democracia em Portugal tem uma grande riqueza da participação. “Tem a vantagem de não se cingir aos protocolos”, aludiu o chefe de estado, acrescentando: “Faz parte da vivência democrática o apelo participativo que se traduz no desabafar em voz alta aquilo que vai no nosso coração”. Marcelo Rebelo de Sousa acabou também por elogiar a intervenção de António José Matos.

“É função de cada um defender a sua terra e expor publicamente aquilo que pensa sobre as medidas que vão sendo apresentadas ao país”. Refira-se que os utentes dos transportes públicos da Área Metropolitana de Lisboa começaram agora a carregar o cartão Lisboa Viva com os novos passes Navegante Metropolitano ou Municipal, válidos desde esta segunda-feira, dia 01 de Abril.

Os novos passes são de periodicidade mensal, válidos entre o primeiro e o último dia de cada mês, e têm duas modalidades: o passe Navegante Metropolitano e o passe Navegante Municipal. O passe Navegante Metropolitano custa 40 euros e permite viajar em todos os transportes públicos, de uma ponta à outra da Área Metropolitana de Lisboa, e existe em 18 versões, uma para cada um dos concelhos que integram a AML, permitindo a cada cidadão utilizar todos os transportes públicos de um concelho por 30 euros.

 

COMPARTILHAR