Carnaval de Torres: Monarquia invadiu espírito folião

Foi em clima de festa que o povo assistiu à cerimónia que marcou o início da monarquia do Carnaval de Torres Vedras. Na chegada à cidade, as Suas Altezas Reais foram recebidas por uma multidão de foliões que acompanharam o desfile até à Avenida 5 de Outubro.

Suas Altezas Reais já chegaram a Torres Vedras para governar o Carnaval “mais português de Portugal”. Foi em clima de festa que o povo assistiu à cerimónia que marcou o início da monarquia do Carnaval de Torres Vedras. Na chegada à cidade, as Suas Altezas Reais foram recebidas por uma multidão de foliões que acompanharam o desfile até à Avenida 5 de Outubro.

À frente da charrete Real seguiram os Cabeçudos, anunciando a passagem da corte. A Real Confraria do Carnaval, Ministros e Matrafonas, Marias Cachuchas, Lúmbias, Fidalgos, a Sociedade Filarmónica da Ribaldeira, as bandas OSGA e Ribombar e vários grupos de mascarados completaram a comitiva que encheu de diversão e ritmo as ruas da cidade torriense.

O périplo terminou na Câmara Municipal de Torres Vedras, onde os Zés Pereiras fizeram vibrar o público presente com o som dos seus bombos e tambores. Os então príncipes foram coroados para passarem a ser os Reis do Carnaval “mais português de Portugal”.

Depois de algumas palavras, o presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, o republicano Carlos Bernardes, ouviu as preces dos milhares de foliões ali reunidos e entregou a Chave da Cidade a Suas Altezas Reais os Reis do Carnaval de Torres Vedras. Dom Portuga Folião Deboakasta e Dona Tintona P’ro Zé Povinho Nú Mafona, os recém-coroados Rei e Rainha, subiram depois à varanda do edifício da Câmara Municipal, acompanhados do edil Carlos Bernardes e do presidente da empresa municipal Promotorres, César Costa, e hastearam a bandeira da monarquia carnavalesca.

Suas Altezas aproveitaram a ocasião para dirigir algumas palavras ao seu povo e brindar com a cerveja Sagres, celebrando o início do reinado. Com palavras singelas, Dom Portugal Folião Deboakasta declarou aberto o Carnaval “mais português de Portugal”. Até 6 de Março está assim instalada a monarquia na cidade torriense, onde reina a folia e a diversão. A cerimónia terminou depois ao som do hino desta “nação”: o Samba da Matrafona. A animação, essa, prosseguiu nos palcos da Praça Machado Santos e da Praça Sagres.