Esménio aperta com ministra para Salvaterra ter mais médicos

Hélder Esménio, presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos

Hélder Esménio reuniu com a Ministra da Saúde, Marta Temido, com o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Francisco Ramos, e ainda com o Presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), Luís Pisco. O presidente da Câmara quer garantir mais médicos para o concelho de Salvaterra de Magos.

Para além da reivindicação de mais médicos de família para os centros de saúde do Concelho, em reivindicação por parte do autarca esteve ainda a continuidade da definição de Salvaterra de Magos como Concelho prioritário “para o tornar atractivo para novos médicos em face da melhoria das suas condições de remuneração”, explicou o Presidente da Câmara Municipal.

Hélder Esménio considerou que “tem valido a pena o trabalho que tem sido feito pelo Município junto do Agrupamento de Centros de Saúde da Lezíria (ACES), da ARSLVT e do Ministério da Saúde, pois o nosso Concelho passou de uma situação em que tínhamos 60% dos utentes do Serviço Nacional de Saúde (SNS) sem médico de família para 25% e mesmo estes contam agora com médicos contratados pelo SNS”, referiu. “Vamos, por isso, continuar a insistir na vinda de mais médicos de família para o Concelho”, acrescentou Esménio.

O Fundamental sabe que Hélder Esménio solicitou a cooperação da ARSLVT no processo de convencimento dos médicos de saúde familiar a constituírem uma USF – Unidade de Saúde Familiar no Concelho, e a necessidade de a tutela encarar a construção de um novo edifício para a extensão de saúde de Marinhais. De acordo com o autarca, o município está disponível para ofertar o terreno para a implantação desta unidade. “A ARSLVT ficou de estudar a possibilidade de apresentar candidatura aos fundos comunitários para o efeito”, adiantou o presidente.

O Presidente da Câmara Municipal voltou a solicitar ao Ministério a reabertura das extensões de saúde de Muge e do Granho e que, “enquanto tal não suceda, pudesse ser encarada a hipótese de os médicos contratados pela Câmara Municipal para os consultórios municipais dessas duas localidades poderem passar exames complementares de diagnóstico”.

Quanto às projectadas obras de requalificação do centro de saúde de Salvaterra de Magos, orçadas em quase 80 mil euros, a informação é que, “em princípio, vão poder iniciar-se com o Orçamento de Estado de 2019”, concluiu.

COMPARTILHAR