Fim político de Silvino: PS nacional decide que Sousa vai ser candidato em Azambuja

A Federação de Lisboa do Partido Socialista colocou um ponto final decisivo nas aspirações de Silvino Lúcio e decidiu que o candidato em Azambuja vai mesmo ser Luís de Sousa. A FAUL decidiu que os presidentes em exercício e ainda não atingidos pela limitação de mandatos serão de novo candidatos ao cargo nos respectivos municípios.

Silvino parece estar no fim da linha. A carreira política do ainda vice-presidente está por um fio...

A Federação de Lisboa do Partido Socialista colocou um ponto final decisivo nas aspirações de Silvino Lúcio e decidiu que o candidato em Azambuja vai mesmo ser Luís de Sousa. A FAUL decidiu que os presidentes em exercício e ainda não atingidos pela limitação de mandatos serão de novo candidatos ao cargo nos respectivos municípios.

Esta directriz define Luís de Sousa como recandidato do PS em Azambuja e determina o fim político de Silvino Lúcio, que terá dado um autêntico tiro no pé ao afrontar o actual presidente da Câmara de Azambuja, dando a Luís de Sousa o pretexto para lhe retirar confiança política e de uma vez por todas anunciar que não conta com Silvino para as próximas autárquicas.

Luís de Sousa tem aqui uma oportunidade de ouro para se ver livre de Silvino Lúcio. Terá capacidade de liderança para assumir essa ruptura com o passado?

Segundo adiantou o Jornal Público, na sua edição online de hoje, “os cabeças de lista que se recandidatam são Fernando Medina em Lisboa, Basílio Horta em Sintra, Carla Tavares na Amadora, Hugo Martins em Odivelas, Alberto Mesquita em Vila Franca de Xira, Luís Sousa na Azambuja e André Rijo em Arruda dos Vinhos”.

Desta forma, Luís de Sousa já poderá constituir a lista de candidatos do PS que o próprio vai liderar de acordo com as suas pretensões. António José Matos deverá ser o candidato a vice-presidente, sendo que Silvino Lúcio não deverá ter quaisquer possibilidades de continuar a fazer parte das listas socialistas. Deverá ser uma espécie de fim da linha na carreira política de Silvino Lúcio.

Esta decisão da FAUL significa igualmente um ponto final nas aspirações da ala mais antiga do Partido Socialista, que pretendia regressar ao activo através da candidatura de Silvino Lúcio. João Benavente, Luís Benavente, António Morgado ou Narciso Ajuda eram alguns dos nomes que apoiavam Silvino, mas que claramente saem derrotados nesta investida.

Resta saber se Luís de Sousa terá efectivamente coragem para, de uma vez por todas, colocar Silvino Lúcio na prateleira. O momento é completamente favorável ao actual presidente, que seguramente não vai dispor de outra oportunidade para o fazer. Este será, sem dúvida alguma, o maior dos testes à capacidade renovadora e de liderança de Sousa.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR