Os Xerife de Salvaterra

Foram desafiados para "dar música" aos convidados durante a refeição no contexto da cerimónia de apresentação do Mês da Enguia. Os três músicos presentes - dois guitarristas e uma vocalista - são elementos dos Xerife, banda de Salvaterra de Magos. Laura Macedo apresenta os Xerife desta forma: "Os Xerife são uma banda de pop/rock, de originais cantados em português, e tentamos trazer algo de novo à música portuguesa; se o vamos conseguir ou não isso já depende da opinião do público, mas para já o feed-back é bastante positivo".

Os Xerife pretendem lançar-se na cena da música portuguesa... e têm valor para ir longe

Foram desafiados para “dar música” aos convidados durante a refeição no contexto da cerimónia de apresentação do Mês da Enguia. Os três músicos presentes – dois guitarristas e uma vocalista – são elementos dos Xerife, banda de Salvaterra de Magos. Laura Macedo apresenta os Xerife desta forma: “Os Xerife são uma banda de pop/rock, de originais cantados em português, e tentamos trazer algo de novo à música portuguesa; se o vamos conseguir ou não isso já depende da opinião do público, mas para já o feed-back é bastante positivo”. Os Xerife lançaram um EP recentemente, cujo primeiro single – Histórias – tem um videoclip de apoio já a circular na internet, e o trabalho foi apresentado a 26 de Fevereiro no Teatro Ibérico, em Lisboa. Para além da vocalista Laura Macedo, os Xerife contam também com o guitarrista Marcelo Silva, com o baixista José Ganchinho, com o baterista Cláudio Marques e com o teclista Peca, todos originários do concelho de Salvaterra. Laura Macedo revela que a banda tem dois EP’s editados até ao momento, o primeiro dos quais dado à luz em Outubro de 2014. “Já ninguém tem paciência para ouvir dez ou doze músicas, as coisas estão bem diferentes do que eram antes, e neste momento os EP’s são a melhor solução”, afirma a vocalista dos Xerife. “Temos gostos muito ecléticos e gostamos desde metal a fado, e tudo o que fica no meio são as nossas influências”, revela Laura Macedo, que acrescenta estar satisfeita com o carinho com que os salvaterrenses têm brindado o quinteto, prova de santos da casa ainda fazem milagres. “O videoclip de Histórias teve muito impacto e fez com que mais gente reagisse ao nosso trabalho, tanto aqui em Salvaterra como em Coruche, que é a minha terra natal”. Na apresentação do Mês da Enguia a Câmara de Salvaterra desafiou estes três “xerifes” a interpretar oito fados do Ribatejo, com um cunho pessoal da banda que implicou, naturalmente, uma nova roupagem. E que resultou mesmo muito bem. Para continuar, esperamos.

FONTEA.T.
COMPARTILHAR