Novo acidente na estrada nacional 3 fez mais cinco vítimas, duas em estado grave

A EN3 voltou a ser palco de mais um acidente rodoviário nesta quarta-feira e do mesmo resultaram cinco feridos, sendo que dois desses feridos inspiram cuidados e foram mesmo transportados para o Hospital de Santa Maria.

A Estrada Nacional 3 continua a ser palco de acidentes a um ritmo preocupante (fotografia de arquivo)

A Estrada Nacional 3 voltou a ser palco de mais um acidente rodoviário nesta manhã de quarta-feira. O acidente teve lugar na Zona Industrial entre Azambuja e Vila Nova da Rainha e do mesmo resultaram cinco feridos, sendo que dois desses feridos inspiram cuidados e foram mesmo transportados para o Hospital de Santa Maria.

O acidente ocorreu por volta das 8 horas e 11 minutos da manhã de hoje e teve como palco o quilómetro 5.9 da tristemente afamada Estrada Nacional 3. Tratou-se de uma colisão entre dois veículos ligeiros. Dessa mesma colisão resultaram cinco feridos. Dois foram considerados feridos ligeiros e estes acabaram por ser assistidos no local do acidente.

No entanto houve dois feridos cujo estado inspirou mais cuidados e tiveram mesmo que ser transportados para o Hospital de Santa Maria. No local do acidente estiveram os meios de socorro dos Bombeiros Voluntários de Azambuja e ainda agentes da Brigada de Trânsito do Carregado, num total de cinco veículos e de doze operacionais.

Este acidente vem avivar a memória para outras fatalidades que têm acontecido neste troço da Estrada Nacional 3 e que acabam por justificar em pleno a existência do movimento Plataforma EN3, preconizado por Inês Louro, André Salema e Joaquim Ramos, com a participação de José Martins. A Presidente da Junta de Azambuja refere, sobre o acidente de hoje: “Trata-se de mais um infeliz acidente na EN 3 e na área geográfica da freguesia de Azambuja e desta vez com feridos graves a lamentar”.

A autarca acrescenta: “Estamos quase no final do mês de Junho e este tinha sido o prazo indicado pelas Infraestruturas de Portugal para a conclusão do projecto para a requalificação desta estrada”. Inês Louro complementa: “Após sucessivos atrasos espero sinceramente que o projecto chegue até ao final deste mês, já que se comprova que os utentes que circulam todos os dias na EN3 não podem esperar e merecem mais respeito”.

Inês Louro falou igualmente em nome de todos os promotores da Plataforma EN3: “enquanto membro fundador da plataforma cívica da EN3 garanto-vos que não aceitaremos adiamentos deste projecto, até porque temos a noção de que se o mesmo não ficar concluído rapidamente não entrará no próximo orçamento de Estado. Lutaremos para que tal não aconteça”, assegurou Inês Louro.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR