Mais de 100 casos Covid na Sonae: trabalhadores em pânico controlados até para ir à casa de banho

Os trabalhadores da Sonae MC em Azambuja vivem em pânico de contágio e até as idas à casa de banho são controladas e restritas ao essencial. O Fundamental está em condições de garantir que serão mais de 100 os colabores infectados.

É um momento singular na vida de milhares de trabalhadores do Centro de Distribuição da Sonae MC em Azambuja: naqueles imensos escritórios vive-se em pânico de contágio e até as idas à casa de banho são controladas e restritas ao essencial.

A fábrica hoje regista 70 casos oficiais, mas o Fundamental teve acesso a uma lista onde constam mais de 30 colaboradores de nacionalidade indiana infectados e que não farão parte das estatísticas divulgadas.

Estes cidadãos de nacionalidade indiana vivem juntos em alojamentos dado que se tratam de pessoas deslocadas, o que potencia o risco de contágio. São mais de três dezenas os que contraíram a infecção pelo covid-19. Na “outra” lista constam 70 casos de coronavírus identificados entre os trabalhadores directamente afectos à Sonae MC, uma vez que boa parte dos colaboradores deste Centro de Distribuição são sub-contratados a empresas de trabalho temporário.

Ainda de acordo com alguns testemunhos a que tivemos directamente acesso, e tal como já referimos, nos muitos escritórios da Sonae MC vive-se com muita preocupação de contágio e até as idas à casa de banho são controladas e restritas ao essencial. As chefias procuram evitar uma grande concentração de trabalhadores nas mesmas salas, sobretudo no momento das transições de turnos, quando em determinados períodos de tempo quem acabou de entrar se cruza com quem está prestes a ir para casa.

Também os motoristas vivem momentos de angústia e incerteza. O Fundamental falou hoje com um destes profissionais, que nos conta: “Temos visto os números a aumentar lá dentro e cada vez que vou tratar de receber as guias pergunto-me sempre se será desta que vou levar o maldito vírus para casa”. Este homem vive no Concelho de Azambuja com a esposa, filhos e dois idosos. Todos partilham a mesma casa.

Já hoje as televisões voltaram a dar honras de abertura dos telejornais da hora de almoço referindo-se ao “surto da Azambuja”. Ricardo Mendes, do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviços, implora à Sonae MC para que sejam testados todos os 3 mil trabalhadores desta plataforma de empresas. Ou seja, os cerca de 700 contratados directamente pela Sonae mais os restantes que serão então os temporários, no seio dos quais o foco de infecção poderá ser relevante.

Ricardo Mendes acrescenta: “Só agora que apareceu o surto é que a empresa está a por em prática os planos de contingência”. Este delegado sindical ainda refere, em jeito de alerta: “À semelhança do que está a acontecer na Sonae, Modelo e Continente, espero que insígnias como a Worten, Stapples, Max Mat e outras ponham os olhos no que está aqui a acontecer e adoptem já medidas adequadas”.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR