Azambuja: Presidentes das 7 Freguesias unidos reclamam do governo mais informação local

Os sete presidentes das juntas de freguesia do Concelho de Azambuja uniram-se e a uma só voz foram junto do Presidente da República reivindicar informação mais detalhada sobre os casos de infecção por coronavírus registados a nível local.

Os sete presidentes das juntas de freguesia do Concelho de Azambuja uniram-se e a uma só voz foram junto do Presidente da República reivindicar informação mais detalhada sobre os casos de infecção por coronavírus registados a nível local.

Refira-se que conforme indicação da Autoridade de Saúde Local, por determinação da Ministra da Saúde e da Direcção Geral de Saúde, quando os casos confirmados por freguesia sejam inferiores a 3, por motivos de confidencialidade os dados não são apresentados, tal como sucede no Relatório de Situação Diário emitido pela DGS.

Os autarcas das Freguesias de Azambuja garantem não admitir serem excluídos deste processo, como tem vindo a suceder por determinação governamental. “Não admitimos que não nos dêem informação dos dados oficiais por freguesia, e não admitimos que não tenhamos acesso aos dados pessoais dos infectados”, acrescentam na missiva dirigida a Marcelo Rebelo de Sousa.

Os presidentes de junta de freguesia do Concelho de Azambuja referem ainda, e citamos, que “a nossa realidade é bem mais rural, característica que muito nos orgulha e nos define, o que faz de nós um conjunto de autarcas de proximidade, onde conhecemos praticamente todos os nossos fregueses e onde todos nos conhecem”.

Os presidentes unidos asseguram igualmente a Marcelo Rebelo de Sousa que, e voltamos a citar, “alteramos todos os procedimentos práticos das nossas juntas de forma a podermos priorizar os trabalhos de desinfecção, apoio aos mais necessitados e afectados com a pandemia. Temos tido a capacidade de nos reinventar em medidas e apoio e, também sem falsa modéstia, dizemos que temos conseguido dar as devidas respostas às solicitações”.

Desta forma, os presidentes das juntas de freguesia de Azambuja declaram à figura número um do Estado Português não admitirem ficar excluídos deste processo. “Não o admitimos porque desta forma estão a dizer-nos que não somos competentes para ter acesso a dados pessoais e isso jamais poderemos admitir. Somos Autarcas, somos Responsáveis”, afirmam em uníssono.

Os autarcas de Azambuja lembram que são eles que gerem a ansiedade dos fregueses. “O facto de não termos respostas só cria uma maior especulação, além de que é difícil explicar aos nossos fregueses que na realidade não sabemos … nós, em quem sempre confiaram. Desta forma, começam a desconfiar dos seus próprios presidentes de Junta”, asseguram, em jeito de lamento.

Estes autarcas afirmam igualmente que estão na linha da frente do combate ao vírus e têm-se desmultiplicado em acções para que o impacto seja o menor possível nos seus territórios. “Queremos dizer que somos rurais com orgulho, mas somos competentes, e somos autarcas de proximidade, mas sabemos fazer a triagem do que é confidencial e que possa ser, ou não, conhecido público”.

Os autarcas de Azambuja finalizam a carta que dirigiram a Marcelo Rebelo de Sousa, afirmando e de novo a uma só voz: “Não queremos só discursos e mensagens meritórias e de encorajamento, queremos provas efectivas de que confiam no nosso trabalho, tal como nós confiamos no vosso”.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR