Coronavírus | Alenquer e Azambuja: população ansiosa teme cortes de água já no final do mês

As populações de Alenquer e de Azambuja temem os cortes de água associados ao não pagamento das facturas emitidas pelas empresas concessionárias nestes dois concelhos. Até ao momento não há qualquer indicação de ambas as concessionárias de que os cortes serão suspensos. Teme-se o caos.

As populações de Alenquer e de Azambuja temem os cortes de água associados ao não pagamento das facturas emitidas pelas empresas concessionárias nestes dois concelhos. Muitas famílias estão sem dinheiro e guardam para comprar comida os parcos recursos que ainda têm. Até ao momento não há qualquer indicação de ambas as concessionárias de que os cortes serão suspensos. Teme-se o caos.

Os exemplos multiplicam-se por toda a região e até em todo o país. Seria exaustivo falar nesta peça jornalística de todas as medidas anunciadas pelas empresas que detém concessões na maior parte dos municípios que concessionaram a água. A título de exemplo, a Câmara de Montalegre decidiu a isenção do pagamento das facturas de água relativas ao período entre 17 de Março e 17 de Junho como forma de apoiar as famílias e as empresas do concelho. Este município decidiu também prorrogar o prazo de pagamento da factura da água do mês de Fevereiro para 90 dias. Neste caso, trata-se de um serviço que ainda está sob alçada do município.

Damos outro exemplo, este no âmbito de uma concessão: Cartaxo. A empresa Cartágua publicou na sua página o seguinte comunicado: “Devido ao período difícil que todos atravessamos, informa que adiou o prazo limite de pagamento, de todas as facturas vencidas até 29-02-2020. Assim, todas as facturas nessa situação passam a ter o dia 30-04-2020 como nova data de vencimento, podendo ser pagas no Multibanco, no e-banking e em todas as Lojas e Agentes CTT/Payshop“.

Em Azambuja e em Alenquer… até agora, nada de nada. No sítio das empresas Águas de Alenquer apenas está postado um comunicado que, resumido, dá nisto: “A Água de Alenquer irá adoptar como medida adicional temporária restringir o acesso à loja de atendimento ao público, através do encerramento ao publico dos serviços usuais na loja tais como pagamentos, informações, pedidos de limpeza de fossa, celebração ou rescisão de contratos, reclamações e pedidos de orçamento“.

E continua o comunicado da Águas de Alenquer: “Os nossos clientes poderão continuar a tratar de todos os assuntos através de meios não presenciais: contacto telefónico, canais de comunicação electrónico, Loja Cliente e o e-mail onde serão conduzidas e avaliadas todas as situações

A Águas de Alenquer também informam que o pagamento das facturas será efectuado através dos canais não presenciais existente: MB, e-banking, rede de agentes pay-shop, postos e agentes CTT e nos locais habituais de pagamento. A empresa acrescenta que esta medida encontra-se em vigor até ao dia 30 de Março, evoluindo em função das determinações da Autoridade de Saúde e do Município de Alenquer.

Já o sítio da Águas de Azambuja apresenta um comunicado ainda mais sucinto: “tendo por objectivo promover a contenção da pandemia COVID-19, proteger os Utilizadores e os colaboradores que exercem funções na Águas da Azambuja, S.A, e a população em geral, e como medida preventiva, solicitamos aos nossos clientes que apenas se desloquem ao balcão de atendimento para assuntos estritamente necessários e que não possam ser tratados via telefone ou via electrónica“.

Ou seja, não há uma palavra de informação nem de conforto para com os (e vão ser mesmo muitos) cidadãos de ambos os concelhos que daqui por alguns dias não vão ter sequer dinheiro para comprar comida, quanto mais para pagar as facturas da águas. Caso ambas as empresas mantenham a política de cortes que se segue aos respectivos avisos, vamos ter… outra pandemia. A da falta de água nas torneiras em Alenquer e em Azambuja.


VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR