Alenquer: autarquia quer inaugurar Museu do Presépio em 2020

A Câmara de Alenquer pretende inaugurar em 2020 o futuro Museu do Presépio e reabrir ao público o Museu Municipal Hipólito Cabaço. Quem o garantiu esta terça-feira foi Rui Costa, o vice-presidente da autarquia.

Rui Costa, vice-presidente da autarquia alenquerense

A Câmara de Alenquer está a investir cerca de 800 mil euros para inaugurar em 2020 o futuro Museu do Presépio e reabrir ao público o Museu Municipal Hipólito Cabaço, encerrado há uma década. Quem o garantiu esta terça-feira foi Rui Costa, o vice-presidente da autarquia.

De acordo com o vice de Pedro Folgado, a Câmara está em fase de assinatura do contrato com o empreiteiro que vai levar a cabo a requalificação do edifício onde funcionou até 2009 o Museu Municipal Hipólito Cabaço. Nesse local será então inaugurado em 2020 o Museu do Presépio.

No âmbito da intervenção, que está prevista decorrer durante seis meses, “o edifício vai ser todo requalificado tanto no interior como no exterior, assim como um outro edifício anexo”, explicou o autarca. O Museu do Presépio está orçado em cerca de meio milhão de euros, financiados em parte por fundos comunitários.

“Alenquer é conhecida como o Presépio de Portugal, tem uma ligação ao presépio desde o século XIII e era importante marcar a vida cultural da vila com um museu dedicado ao presépio para preservar essa memória”, justificou o vice-presidente, que também é vereador da Cultura.

Rui Costa lembrou que o primeiro presépio português terá sido encontrado em Alenquer e levado para o Museu de Arte Antiga, motivo pelo qual a câmara municipal está em negociações no sentido de integrar a peça no espólio do futuro Museu do Presépio.

Recorde-se que desde 1968 Alenquer passou a ter no alto da encosta da vila um presépio de figuras monumentais, encomendadas pela câmara municipal ao pintor Álvaro Duarte de Almeida, depois de as cheias do ano anterior terem destruído o presépio e deixado danos em toda a vila. A disposição do presépio na encosta da vila virada para o rio levou à denominação de “Alenquer vila presépio”.

O futuro museu vai ter um auditório, sala de projecção de filmes ou documentários e dois núcleos expositivos diferentes, para os quais estão a ser feitas recolhas documentais e pesquisas bibliográficas. O edifício onde vai ser instalado o Museu do Presépio albergou até 2009 o Museu Municipal Hipólito Cabaço.

Contudo, o “espaço era desajustado e pequeno” para a colecção de 15 mil peças de arqueologia alusiva ao trabalho do arqueólogo Hipólito Cabaço, natural do concelho, e aos achados efectuados no concelho desde o período do paleolítico. A colecção foi adquirida pelo município em 1944, com o objectivo de vir a expor a mesma num museu dedicado.

O Museu Hipólito Cabaço encerrou ao público há uma década e a colecção foi transferida há três anos para outro edifício, denominado Casa da Torre, antiga residência do arqueólogo Hipólito Cabaço, onde até há quatro anos funcionaram serviços municipais.

Ainda de acordo com Rui Costa, o novo projecto do Museu Municipal Hipólito Cabaço prevê a existência de dois núcleos, um dedicado à colecção arqueológica e outro dedicado às tradicionais Festas do Espírito Santo da vila.

 

VIAAlexandre Silva
FONTEAgência Lusa
COMPARTILHAR