Azambuja: projecto de formação para técnicos de juventude começa já nesta terça-feira

O projecto Bemore é coordenado pelo Município de Azambuja e vai realizar um programa de formação para os técnicos de juventude. A sessão de abertura terá lugar já nesta terça-feira, dia 9 de Abril, pelas 09h30, na Escola Secundária de Azambuja.

O projecto Bemore – Education through Art, coordenado pelo Município de Azambuja, vai realizar um programa de formação para os técnicos de juventude. A sessão de abertura terá lugar já nesta terça-feira, dia 9 de Abril, pelas 09h30, na Escola Secundária de Azambuja.

O Bemore é um projecto de parceria internacional entre os municípios de Azambuja, de Villla de Moya (Espanha) e Castel Bolognese (Itália) e é financiado em conjunto pela União Europeia através do programa “Erasmus+ / Juventude em Acção”. Esta acção terá perto de duas dezenas de participantes, entre os quais os técnicos de Azambuja, de Villa de Moya (Espanha) e de Castel Bolognese (Itália) que irão acompanhar os jovens destes três municípios nas actividades transnacionais previstas no projecto.

Esta mesma formação será igualmente ministrada a vários técnicos da Câmara Municipal de Azambuja e diversos Auxiliares de acção educativa dos três agrupamentos de escolas do concelho que trabalham com jovens dos 14 aos 16, a faixa a que se destina o Bemore. O plano de formação, com a duração de 4 dias, terá componentes teóricas e práticas ministradas por formadores especializados nas diferentes áreas.

Destaque para a abordagem de temas como a educação não formal, o combate à discriminação e a promoção da inclusão social, o trabalho com e para jovens – o lazer, a sociabilidade e as dinâmicas de grupo, bem como o coaching e a liderança de equipas. Na vertente mais prática, serão exploradas as áreas artísticas a desenvolver pelos municípios nas actividades com os jovens, música e dança, teatro e cinema, artes plásticas e fotografia.

Saliente-se que este plano de formação está certificado pelo Ministério da Educação do governo português. Pretende-se com esta acção responder às necessidades dos técnicos de juventude que se prendem com a crescente diversidade de contextos, saberes e práticas inerentes à própria actividade e à realidade multifacetada do trabalho com jovens.

Segundo fonte da autarquia, “revela-se necessário identificar estratégias de actuação comum no âmbito da educação não formal e preparar os técnicos para intervirem na concepção, organização, desenvolvimento e avaliação de projectos, programas e actividades com e para jovens, mediante metodologias do domínio da educação não-formal, facilitando e promovendo a cidadania, a participação, a autonomia, a inclusão e o desenvolvimento pessoal, social e cultural”.

Ainda de acordo com a mesma fonte, “a principal finalidade da formação dos Técnicos para a Animação de Juventude na área de Educação pela Arte é dotar técnicos de competências e ferramentas que lhes permitam trabalhar com os jovens europeus nessa área”. No âmbito do projecto Bemore, o referencial de formação resultante de todo o processo é a peça essencial da validação de um modelo de educação não formal através das artes.

“Esse referencial irá constituir-se como um instrumento estruturante e operacional, um guia de implementação que integra um conjunto de competências ligadas à recém-criada profissão de técnico de juventude, e especificamente vocacionadas para a educação pela arte enquanto metodologia de educação não formal, em função das quais se desenvolve o respectivo programa, metodologias, planificação e avaliação visando sempre a melhoria da qualidade da formação”, acrescentou a mesma fonte do município em comunicado de imprensa.