Árbitro do Carregado agredido a murro e pontapé em jogo de futebol entre Arrudense e Aveiras

O árbitro Ricardo Lourenço foi agredido a murro e a pontapés por um jovem jogador do Arrudense, que reagiu mal a uma ordem de expulsão no decurso do jogo de futebol de juniores que teve lugar nesta tarde de sábado em Arruda dos Vinhos e que opôs o Arrudense ao Aveiras Sport Clube.

Ricardo Lourenço, jovem árbitro do Carregado que foi violentamente agredido em Arruda dos Vinhos

Acabou muito mal o jogo de futebol que teve lugar nesta tarde de sábado em Arruda dos Vinhos e que opôs o Arrudense ao Aveiras de Cima Sport Clube. O árbitro foi agredido a murro e a pontapés por um jovem jogador do Arrudense, que reagiu mal a uma ordem de expulsão. A GNR de Arruda acabou por levar o jovem para fora do campo e o juiz da partida não viu condições reunidas para terminar o encontro.

Faltavam poucos minutos para o termo do jogo, que contava para a vigésima jornada do Campeonato Distrital de Juniores da segunda divisão. O Arrudense tinha acabado de marcar o seu quarto golo, escassos minutos após o Aveiras ter colocado o marcador numa igualdade a 3. Durante os festejos, e sem que tenha sido perceptível o motivo, Ricardo Lourenço, árbitro do Carregado, mostrou cartão vermelho directo a um jovem jogador do Arrudense.

Na sequência da amostragem deste cartão vermelho, o jogador do clube de Arruda dos Vinhos perdeu a cabeça e agrediu violentamente o árbitro a murro, atingindo Ricardo Lourenço na face, o que fez com que o juiz da partida caísse desamparado no relvado sintético. Já no chão, o jovem jogador da equipa da “casa” continuou a agredir o árbitro, agora com pontapés aplicados nas costas e no corpo de Ricardo Lourenço.

O árbitro do Carregado conseguiu, a muito custo, levantar-se do chão e fugir do local onde se consumaram as agressões, ao mesmo tempo que os colegas de equipa do jovem agressor evitaram que este continuasse a agredir o juiz. Os agentes da Guarda Nacional Republicana acorreram ao local das agressões e acabaram por retirar o jovem jogador do Arrudense de campo, visivelmente de cabeça perdida.

Refira-se que no decorrer deste jogo o árbitro já tinha solicitado aos agentes da autoridade presentes que identificassem um jovem jogador do Aveiras que havia sido expulso no decorrer da primeira parte, numa atitude por parte do juiz da partida considerada excessiva e injustificada pela maioria das pessoas que assistiam ao jogo na bancada.

Desta forma o jogo terminou com a vitória do Arrudense por 4 a 3, mas na realidade o encontro acabou por durar menos que os 90 minutos previstos, dado que não houve condições para que o árbitro Ricardo Lourenço pudesse fazer cumprir o tempo regulamentar de jogo. Para a história fica um árbitro agredido a soco e a pontapé de forma violenta e seguramente uma tarde para esquecer no que à boa propaganda do futebol diz respeito.

 

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR