Alenquer: bovinos definham e morrem à fome numa quinta na Freguesia de Meca

Um caso de bovinos sub-nutridos poderá estar a acontecer na Freguesia de Meca. Ao Fundamental chegou o relato de animais extremamente magros e em alguns casos até já cadaveres. A denuncia veio acompanhada de diversas fotografias que mostram as condições miseráveis em que vivem alguns bovinos nesta quinta.

Um caso de bovinos sub-nutridos poderá estar a acontecer na Freguesia de Meca. Ao Fundamental chegou o relato de animais extremamente magros e em alguns casos até já cadaveres. A denuncia veio acompanhada de diversas fotografias que mostram as condições miseráveis em que vivem alguns bovinos nesta quinta.

De acordo com testemunhos recolhidos, a quinta situa-se na estrada que efetua ligação entre Falgar e Casais Pedreira do Lima. Uma vaca já cadáver foi detetada na passada sexta-feira, ao passo que outros animais da mesma raça estão visivelmente magros e sub-nutridos. De acordo com a nossa fonte, o mesmo animal morto estaria no dia seguinte já em outro local, para onde terá sido arrastado, junto a um portão da mesma quinta.

Uma das testemunhas, residente no Fiandal, contou ao Fundamental o que viu: “na passada sexta feira, quando me deslocava de Alenquer para minha casa, ao passar junto à essa quinta na estrada de Falgar para Casais Pedreira do Lima, verifiquei que uma vaca já se encontrava cadáver; no dia seguinte vi essa mesma vaca noutro local perto de um portão junto ao lugar de Pedreira do Lima; o animal ainda lá se encontra, não foi recolhido”.

A mesma testemunha garante que viu outro bovino morto: “Entretanto já vi outra vaca cadáver debaixo de uma cobertura onde elas pernoitam”. Esta fonte assegura que são cerca de 15 animais bovinos, entre adultos e crias: “Estão num estado de grande magreza porque o que comem é a escassa erva que não alimenta o suficiente, e faltam-lhes outros suplementos como seja a palha, que não se vê”. Esta testemunha acredita estar perante um cenário de maus tratos, uma situação que configura risco de saúde pública.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR