Praça de Toiros vandalizada: Azambuja extrema posições entre “prós” e “anti” taurinos

A Praça de Toiros Ortigão Costa foi vandalizada nas últimas horas. O cartaz alusivo à nomenclatura daquela estrutura foi derrubado A Associação Cultural A Poisada do Campino culpa, e citamos, o "gangue anti-taurino", referindo tratar-se de "mais uma iniciativa de covardes que nunca nos vencerão", e voltámos a citar.

A Praça de Toiros Ortigão Costa foi vandalizada nas últimas horas. O cartaz alusivo à nomenclatura daquela estrutura foi derrubado e as paredes da Praça foram atingidas por alguém não identificado, ou por um grupo de pessoas não identificadas. A Associação Cultural A Poisada do Campino culpa, e citamos, o “gangue anti-taurino”, referindo tratar-se de “mais uma iniciativa de covardes que nunca nos vencerão”, e voltámos a citar.

Os ânimos exaltam-se e sobem de tom embalados pela posição que a ainda presidente da Junta de freguesia de Azambuja, eleita pelo Partido Socialista mas entretanto candidata anunciada pelo CHEGA a presidente de câmara nas próximas eleições, assumiu e que passa por não pretender contratar artistas para as festas de azambuja que assumam a sua discordância em relação à denominada “cultura taurina”.

O executivo da Freguesia de Azambuja terá decidido esta posição com 2 votos a favor e duas abstenções, sendo que o elemento da CDU não esteve presente nesta votação, e a mesma foi publicada na página oficial da junta de freguesia, tendo sido retirada posteriormente devido à polémica que entretanto estaria a causar. Inês louro será presidente da freguesia até outubro representando o PS mas ao mesmo já é candidata pelo CHEGA a presidente de Câmara. Vai ser apresentada oficialmente hoje, em Lisboa, na sede nacional deste partido.

Há quem critique ferozmente esta posição e acuse a causídica de se servir do cargo que ainda desempenha para “dar nas vistas” enquanto candidata pelo partido fundado por Ventura. Já Inês Louro defende-se: “Quem me critica é porque não conhece o meu percurso de posições assumidas neste contexto“. A autarca acrescenta: “Há quem aplauda de pé esta posição, como o Semanário Sol, onde saiu uma crónica a elogiar a posição, ou mesmo a comunidade da Ilha Terceira, nos Açores, onde há um movimento similar inspirado nesta posição que assumi“.

Seja como for, vai-se assistindo a um extremar de posições tendo por base a discussão de argumentos entre os que são favoráveis e aqueles que não se identificam com a “cultura taurina”. Para já, a Praça Ortigão Costa vai pagando a fatura. Responsáveis pela Câmara de Azambuja já participaram às autoridades locais o ato de vandalismo a que a estrutura foi sujeita. A GNR poderá tomar conta da ocorrência.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR