Inês Louro vai sair do PS invocando incompatibilidades com a atual direção do partido

Não se trata de "brincadeira" de primeiro de Abril: Inês Louro vai deixar o Partido Socialista. A autarca invoca discordâncias com a atual direção do partido a nível local e afirma a existência de incompatibilidades que na sua perspetiva são impossíveis de ultrapassar.

Não se trata de “noticia brincadeira” de primeiro de Abril: Inês Louro vai deixar o Partido Socialista. A presidente da Freguesia de Azambuja coloca desta forma um ponto final na sua militância e não será candidata à presidência da freguesia em Outubro. A autarca invoca discordâncias com a atual direção do partido a nível local e afirma a existência de incompatibilidades que na sua perspetiva são impossíveis de ultrapassar.

Inês Louro assegura que não se revê na atual direção do Partido Socialista e dá o exemplo da questão dos painéis solares previstos para a Quinta da Torre Bela como ponto de discórdia entre a sua pessoa e o PS de Azambuja. “Criou-se um fosso impossível de ultrapassar em relação a esta questão, porquanto o partido insiste em levar por diante este projeto, com o qual não concordo“, refere Inês Louro ao Fundamental.

A ainda presidente da Freguesia de Azambuja também assegura estar desagradada com o facto do Partido Socialista local, que governa o município, não ter tomado uma posição firme no tocante às políticas centrais relacionadas com a tauromaquia. Recorde-se que Inês Louro se manifestou bastante agastada com a posição da candidata Ana Gomes em relação a este tema e retirou-lhe mesmo o seu apoio aquando da corrida à presidência da república.

Refira-se igualmente que estes pontos de discórdia foram suficientes para que a autarca não levasse por diante a recandidatura que entretanto tinha assumido em Julho passado, quando então se disponibilizou para se apresentar novamente a votos pelo Partido Socialista na Freguesia de Azambuja. Inês Louro também é atualmente presidente das Mulheres Socialistas de Azambuja, estrutura recentemente criada mas que naturalmente deixará de presidir depois de assumir publicamente esta sua decisão de deixar o Partido Socialista.

O Fundamental questionou ainda a autarca sobre se esta saída está relacionada com algum projeto político que Inês Louro possa ter na manga para um futuro próximo, mas a ainda líder do executivo da Freguesia de Azambuja negou a existência de qualquer outra razão diferente dos argumentos que apresenta para colocar um ponto final numa relação partidária que já durava desde os seus tempos de militante da JS, quando tinha 16 anos. “Reconheço muito valor a determinadas pessoas dentro do partido a nível local, militantes e simpatizantes, e agradeço a todos os militantes que sempre me apoiaram, ao mesmo tempo que asseguro que vou cumprir o mandato até ao fim de forma a dignificar todas as pessoas que me elegeram e os fregueses em geral“, remata a advogada de Azambuja neste seu adeus ao Partido Socialista.

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR