Coronavírus | Luís Padinha, de Alhandra, em Itália há 2 anos: “O pior está para chegar a Portugal”

Luís Padinha vive em Itália há dois anos e está a sentir o momento de pânico por que passam os italianos por causa do coronavírus. Natural de Alhandra e antiga promessa do nosso futebol, Padinha não se coíbe de avisar: "O pior ainda está para chegar a Portugal".

Luís Padinha vive em Itália há cerca de dois anos e está a sentir o momento de pânico por que passam os italianos por causa do coronavírus. Natural de Alhandra e antiga promessa do nosso futebol, Padinha não se coíbe de avisar: “O pior ainda está para chegar a Portugal”.

Padinha é da geração de grandes nomes do nosso futebol, como Luís Figo. Jogou nas camadas jovens do Sporting e chegou a ser apontado como uma das grandes promessas do futebol português. Depois, a vida deu outras voltas e Luís seguiu o seu percurso natural. Há cerca de dois anos vivia em Londres e acabou por casar com uma cidadã italiana. Dessa relação nasceu uma menina, e Luís Padinha mudou-se para Itália.

Actualmente este cidadão português natural de Alhandra vive em Cesena, na região de Emilia Romagna, bem perto de São Marino, na Itália. E aceitou o convite do Fundamental para contar, na primeira pessoa, o drama imenso que vive o povo italiano. Padinha está a pouco mais de 200 quilómetros do epicentro da pandemia em Itália, a região da Lombardia.

Dos avisos que nos deixa, o nosso destaque vai para este: preparemo-nos para o pior, porque o pior ainda está para vir. “Em Itália também começámos assim: 100 infectados, depois 200, 500, 800 infectados e um morto”. Ou seja, tal como ocorreu connosco. E depois foi um instante enquanto a situação resvalou para o caos, que Luís Padinha conta com precisão jornalística. Vale a pena ver.


VIANuno Cláudio
COMPARTILHAR