A lixeira da discórdia: Freguesia de Azambuja decide apresentar queixa contra Triaza

A Freguesia de Azambuja decidiu nas últimas horas apresentar queixa contra a Triaza, a empresa que explora a chamada "lixeira" de Azambuja. A decisão surge no seguimento de um pedido público para que Inês Louro seja a porta-voz de um conjunto de munícipes junto de Ana Gomes.

A Freguesia de Azambuja decidiu nas últimas horas apresentar queixa contra a Triaza, a empresa que explora a chamada “lixeira” de Azambuja. A decisão surge no seguimento de um pedido público para que Inês Louro seja a porta-voz de um conjunto de munícipes junto de Ana Gomes. A presidente da Junta fez chegar a pretensão ao conhecimento da “camarada” e enviou a respectiva denúncia para o Ministério Público.

O convite surge de uma espécie de desafio assinado por mais de duas dezenas de munícipes, que convidaram a “cidadã azambujense e advogada de profissão” para que assuma a condição de porta-voz junto de Ana Gomes, uma espécie de “socialista mas anti-sistema”, que o grupo considera “senhora de coragem e atitude exemplar, que ainda nos faz acreditar em alguns políticos”, conforme se lê no documento enviado à presidente da Freguesia de Azambuja.

Desta forma, Inês Louro reenviou o pedido deste grupo de cidadãos para Ana Gomes, que faz parte da concelhia de Sintra do Partido Socialista. Ao mesmo tempo, a líder do executivo azambujense anunciou que irá enviar uma denúncia ao Ministério Público contra a empresa Triaza, que explora o aterro da discórdia.

De realçar que este grupo de cidadãos questiona a actividade da lixeira colocando perguntas pertinentes: que tipos de lixo são depositados naquele local e de que países serão provenientes; questionam também o porquê de quantidades massivas de gaivotas serem atraídas para aquele local e que matérias ali serão depositadas e que dão origem aos cheiros nauseabundos que a população sente desde há meses.


VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR