Aveiras de Cima: há vinho transformado em arte em exposição no Centro Grandella

O Município de Azambuja vai organizar uma exposição intitulada “Art’ E Vinho” na Biblioteca do Centro Cultural Grandella, em Aveiras de Cima. A mostra será composta por uma colecção de peças baseadas na actividade vitivinícola da artista Ana Paula Amadeu e por um documentário de Beatriz Cachulo.

Centro Cultural e Biblioteca Almeida Grandella, em Aveiras de Cima

O Município de Azambuja vai organizar uma exposição intitulada “Art’ E Vinho” na Biblioteca do Centro Cultural Grandella, em Aveiras de Cima. A mostra será composta por uma colecção de peças baseadas na actividade vitivinícola da artista Ana Paula Amadeu e por um documentário de Beatriz Cachulo.

A inauguração está marcada para hoje, dia 12 de Abril, pelas 16h30, ficando patente até dia 11 de Maio. Esta mostra insere-se na Ávinho, Festa do Vinho e das Adegas, que decorre de 12 a 14 de Abril em Aveiras de Cima.

Ana Paula Amadeu nasceu em Vila Franca de Xira em 1965 e tem um percurso profissional essencialmente ligado à área de ciências, nomeadamente à meteorologia. No entanto, desde cedo se interessou pelas artes e pelo artesanato, tendência que herdou da sua mãe.

Autodidacta, a vivência em terras do Ribatejo e na Zona Oeste são a sua maior fonte de inspiração para a elaboração das peças a que dá “vida” e que se situam entre a Arte Popular e o Naif. Tem participado em feiras de artesanato, em exposições colectivas ou individuais recriando também ambientes de época, com instalações principalmente na zona de Arruda dos Vinhos.

Por seu lado, Beatriz da Silva Cachulo nasceu em Lisboa em 1999. Residente no Ribatejo, frequentou a Escola Artística António Arroio em Lisboa, e actualmente estuda na Escola Superior de Arte e Design nas Caldas da Rainha, no curso de Som e Imagem. A arte documental é onde se sente mais à vontade, tendo participado e colaborado em várias curtas-metragens e documentários.

Esta exposição é uma singela homenagem às gentes deste concelho, à hospitalidade, à generosidade, a quem abre as suas portas para bem receber os viajantes, às adegas, à Vila Museu do Vinho. Foi inspirada nas paisagens, na vivência no campo, na ruralidade, no dia a dia entre muros velhos quintas antigas, vinhas velhas e novas e no fruto e no vinho.

Surgiu desta forma uma colecção de peças baseadas na actividade vitivinícola, onde são usadas matérias naturais: a videira, a cepa, a madeira, a pedra… mas onde também aparecem as garrafas de vidro e materiais reciclados.

A exposição conta ainda com um documentário de Beatriz Cochulo, num complemento a esta celebração, com imagens de vinhas de Aveiras de Cima, da Sociedade Ideal de Vinhos de Aveiras de Cima e também da Adega Cooperativa de Arruda dos Vinhos, onde se pode ver uma parte da zona de produção.