Câmara candidata-se a fundos europeus para requalificar a Vala de Azambuja

Duas semanas depois do Fundamental ter mostrado o estado de abandono e total desprezo em que se encontra tanto a Vala do Esteiro como o próprio Palácio das Obras Novas, a Câmara de Azambuja submeteu a requalificação da Zona Ribeirinha do Esteiro de Azambuja ao programa “Portugal 2020”.

A Câmara Municipal de Azambuja submeteu um conjunto de candidaturas no âmbito do programa “Portugal 2020”, nomeadamente para a requalificação da Zona Ribeirinha do Esteiro de Azambuja, para a construção de um edifício de Pré-Escolar em Aveiras de Cima e para um projecto destinado a encontrar soluções para melhorar a qualidade do ar em zonas industriais do concelho.

Este anuncio da autarquia de Azambuja surge duas semanas depois do Fundamental ter mostrado, através da sua rubrica Câmera Ardente, o estado de abandono e total desprezo em que se encontra tanto a Vala do Esteiro como o próprio Palácio das Obras Novas. Recorde-se que o filme alusivo a esta reportagem foi visto até ao momento por mais de 32 mil pessoas, como pode ser constatado na nossa página oficial na rede Facebook.

“O projecto da Requalificação da Zona Ribeirinha da Vala do Esteiro de Azambuja tem como objectivo a requalificação ambiental e o arranjo paisagístico da área envolvente ao Esteiro, bem como o desassoreamento e estabilização hidráulica e de obras de contenção deste curso de água”, refere fonte da autarquia de Azambuja em comunicado.

“O projecto de integração paisagística prevê criar um ambiente visual agradável e inclui a reabilitação da zona adjacente à estação ferroviária da vila, a criação de zonas de acesso à vala para a prática de pesca desportiva, o reordenamento das áreas de estacionamento, bem como a criação de uma ciclovia, uma zona de piquenique e equipamentos de actividade física ao ar livre”, garante ainda a mesma fonte. Todos estes aspectos foram mostrados com precisão pela reportagem do Fundamental na rubrica Câmera Ardente.

De acordo com esta fonte da Câmara de Azambuja, o desassoreamento do leito da vala permitirá o uso de pequenas embarcações fora do período de maré baixa. “Nesta requalificação paisagística está também previsto o desassoreamento e estabilização das margens do Esteiro e do muro de suporte, bem como a instalação de um bar/esplanada e arranjo da respectiva envolvente”, promete igualmente a autarquia de Azambuja.

Ainda segundo a mesma fonte, as obras a realizar pretendem a valorização de um espaço público que, apesar de já ser utilizado pelos munícipes, apresenta um grande potencial de crescimento de utilização, com a criação das condições propostas. “Estas intervenções permitirão uma maior ligação da Vila de Azambuja à Frente Ribeirinha que se prevê que no futuro seja um dos pólos dinamizadores do turismo no concelho”, conclui a Câmara de Azambuja.

O projecto surge no âmbito do PORAlentejo 2020 e terá um custo total de 1.192.014,26 euros. O que custa naturalmente a perceber é a razão pela qual um projecto desta dimensão apenas é anunciado após a reportagem do nosso jornal e a pouco mais de dois meses das eleições. Quem governa a autarquia não terá tido tempo ou oportunidade de pensar neste assunto em outro contexto temporal? Assim dá a ideia de que se anda ao sabor da crítica e dos interesses eleitorais, sem que haja um planeamento atempado e projectado da governação do município.

 

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR