Muge: Casa Cadaval e Fábrica de Descasque de Arroz palco de trabalhos de arqueologia

No âmbito do protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal de Salvaterra de Magos e a Associação Portuguesa de Arqueologia Industrial (APAI), vai decorrer nos dias 13 e 14 de julho, respectivamente, uma visita guiada e um Dia Aberto à Comunidade à antiga Fábrica de Descasque de Arroz da Casa Cadaval, localizada em Muge.

No âmbito do protocolo de colaboração entre a Câmara Municipal de Salvaterra de Magos e a Associação Portuguesa de Arqueologia Industrial (APAI), vai decorrer nos dias 13 e 14 de julho, respectivamente, uma visita guiada e um Dia Aberto à Comunidade à antiga Fábrica de Descasque de Arroz da Casa Cadaval, localizada em Muge.

As iniciativas integram uma campanha de trabalhos arqueológicos que decorre de 9 a 14 de julho na antiga fábrica, realizada pela Associação Portuguesa de Arqueologia Industrial (APAI), no âmbito de um protocolo assinado com a Câmara Municipal de Salvaterra de Magos.

Os trabalhos vão envolver uma equipa de arqueologia sob a direcção científica do Dr. Jorge Custódio e da Dra. Leonor Medeiros, da APAI, e consistem, numa primeira fase, na limpeza, identificação, fotografia, inventário e levantamento fotogramétrico dos diversos espaços da fábrica de arroz para um projecto de identificação, registo, estudo, protecção e valorização do património arqueológico industrial.

No dia 13 de julho irá decorrer, pelas 17 horas, uma visita guiada pelo Dr. José Custódio e no dia 14 de julho, a partir das 15h30, será realizado o Dia Aberto à Comunidade para visita à antiga fábrica, uma vez que várias pessoas de Muge trabalharam naquele espaço.

“A Câmara Municipal de Salvaterra de Magos reconhece que os trabalhos arqueológicos de investigação, inventário e documentação a desenvolver na Fábrica de Descasque de Arroz da Casa Cadaval são de interesse municipal pela sua importância ao nível de valores patrimoniais, culturais, científicos e históricos, bem como pelo valor de formação e educação patrimonial que aporta à sociedade civil e à população do Concelho, hoje e no futuro”, refere fonte da autarquia.