Marco Leal: “Atrair novos públicos é muito importante para o futuro da Feira de Maio”

A opinião de Marco Leal sobre a Feira de Maio. Convidámos o antigo autarca para se pronunciar sobre aspectos relacionados com o certame que decorrerá até segunda feira, dia 28 de Maio. Marco Leal foi vereador na Câmara Municipal de Azambuja nos executivos liderados por Joaquim Ramos e teve a seu cargo, entre outras, a pasta da Cultura.

Marco Leal foi vereador na Câmara Municipal de Azambuja nos executivos liderados por Joaquim Ramos e teve a seu cargo, entre outras, a pasta da Cultura. Convidámos o antigo autarca para se pronunciar sobre aspectos relacionados com a Feira de Maio.

FQual é a opinião do Marco Leal sobre o contexto organizativo da Feira de Maio nos tempos que correm?
Marco Leal – Sinto-me sensibilizado por quererem saber a minha opinião, mas tendo eu feito parte durante doze anos da organização da Feira de Maio, com muitas lutas pelo meio e conhecendo toda a sua complexidade, tanto do ponto de vista do organizador como do público, não queria pronunciar-me sobre aspectos relacionados com a organização da mesma, até porque confio que quem tem a obrigação de tomar decisões a este nível, as toma com base no interesse colectivo.

FO cartaz de promoção da Feira tem um visual e um grafismo adequados ao que se pretende, ou seja, dar uma ideia correcta do que é o espírito deste evento?
Marco Leal – Também não quero fomentar o que para mim é uma pseudopolémica que surgiu nas redes sociais, porque retira o foco do que é mais importante. Para mim, andar-se a discutir os gostos estéticos de cada um não tem interesse. Questiono-me até porque razão não se fala do essencial, ou seja, do plano de promoção do evento.

FAqui está uma boa oportunidade para o fazermos. Quer dar um exemplo?
Marco Leal – Vamos ao exemplo: o que adianta desenvolver o melhor cartaz do mundo, com uma imagem gráfica fantástica que toda a gente gosta, se depois ninguém vê o cartaz? Lembro-me que, quando assumi funções na Câmara Municipal, havia uma imagem do cartaz da feira que já vinha de outros anos e que em cada edição apenas alterava o ano e a cor do próprio cartaz. A promoção era feita em três suportes: cartaz, outdoor e flyer. A sua divulgação era feita nos concelhos vizinhos e realizada pelos próprios funcionários da Câmara, num fim-de-semana, o que era indiscutivelmente insuficiente. Nesse aspecto, penso que se deu um grande salto na promoção do evento.

FDepreendo então que concorda com a linha gráfica do actual cartaz.
Marco Leal – Penso que é percetível para todos que a actual imagem gráfica está associada a uma forma de comunicação do município e tem como pressupostos: Estou a informar? O quê? Estou a promover? O quê? Quem é o público-alvo? Onde vai ser divulgado? Na questão do público-alvo, obviamente, não estão a tentar chegar a mim, azambujense, conhecedor da Feira desde que nasci, porque eu sei desde sempre quando é que a Feira de Maio ocorre e não vou faltar nunca a este evento, porque faz parte de mim e das minhas tradições.

FA imagem adoptada funciona para novos públicos?
Marco Leal – A utilização de uma imagem estilizada funciona porque é mais fácil de se utilizar em diversos suportes, tais como produtos de merchandising, redes sociais, entre outros. Além do mais não se perdem os símbolos da Feira: o campino, o toiro e o cavalo. Estes três símbolos constituem a matriz da nossa identidade enquanto comunidade. Tenho a certeza que o objectivo que está por detrás desta ideia gráfica é atrair novos públicos e isso é muito importante para o futuro da Feira de Maio.

FEntão esta discussão em torno do cartaz da Feira não faz sentido, no ponto de vista do Marco Leal.
Marco Leal – Acho que é muito redutor andar-se a discutir um cartaz, quando o cartaz é um dos meios de comunicação que são utilizados para a divulgação e promoção do evento em si, até porque existem muitos outros, tais como publicidade em jornais, revistas, flyers, mupis, outdoors, redes sociais, sites, blogs, e-mails ou landing pages. Considerando que o objectivo principal de um cartaz é chamar a atenção das pessoas e que devem ser criativos, agradáveis, apelativos e ousados e se deve quebrar as regras, porque são um dos veículos mais eficazes para provocar emoções, pergunto: esse propósito não foi já alcançado?

FQual é o segredo para se criar um cartaz apelativo, tendo em conta a natureza do próprio evento, a Feira de Maio?
Marco Leal – O segredo é encontrar o equilíbrio certo entre os vários elementos que o compõem. A eficácia de um cartaz reside na transmissão atractiva de informações para os gostos estéticos específicos do seu público. Já dizia Confúcio “Uma imagem vale mais que mil palavras”. Há quem diga que essa frase é uma inverdade, que uma imagem tende a transmitir uma única ideia, mas também isso é relativo. Um exemplo ilustrativo dessa ideia são as obras de arte, onde cada uma é susceptível de diferentes interpretações em função de quem as admira. Por isso, meus amigos, sintam e vivam a Feira de Maio como só nós o sabemos fazer.

 

VIAAlexandre Silva
COMPARTILHAR